Naldo e Jean Patrick cobram da Ponte Preta mais de R$ 830 mil

Além de Fábio Ferreira, João Lucas e Fernandinho, Naldo e Jean Patrick também acionaram a Ponte Preta na Justiça cobrando salários não pagos e outros direitos.

Os processos dos dois volantes chegam a aproximadamente R$ 830 mil. No geral, as cinco ações podem custar até R$ 2,9 milhões aos cofres do clube. Todos os jogadores são representados pelos advogados Filipe Rino e Thiago Rino.

Só Jean Patrick cobra 450 mil da Macaca. Na época que pertencia ao elenco da Ponte Preta, o volante tinha vínculo até o fim do Campeonato Paulista, mas foi colocado na lista de dispensas após o rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro. A defesa do jogador alega que Jean foi forçado pelo clube alvinegro a pedir demissão, com a promessa de pagamento dos atrasados. As dívidas foram parceladas em cinco vezes, mas, de acordo com a ação, nem a primeira prestação foi efetuada até o momento.

No momento da rescisão, Jean tinha a receber os salários de outubro, novembro e dezembro, assim como o direito de imagem dos três meses, além de férias, 13º e o recolhimento do FGTS de quatro meses. O jogador também pede um valor de cláusula compensatória pela dispensa, o que está previsto no artigo 28 de Lei Pelé.

Naldo, por sua vez, pede cerca de R$ 380 mil da Ponte, entre salários de novembro e dezembro, direito de imagem de outubro, novembro e dezembro, 13º e férias integrais, além do recolhimento de quatro meses do FGTS e multa de um salário pelas verbas rescisórias.

O departamento jurídico da Ponte alegou ainda não ter recebido a notificação oficial sobre os processos. Assim, prefere não se manifestar oficialmente sobre as situações por enquanto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos