Carnaval, calor e preço: semi da Taça GB não lota o Raulino de Oliveira

Nem mesmo o fato do clássico entre Flamengo e Botafogo, neste sábado, valer a vaga na final da Taça Guanabara (um dos torneios mais tradicionais) do Rio de Janeiro) foi suficiente para arrastar um público digno de jogo decisivo. A realização da partida em um sábado de Carnaval, o alto calor em Volta Redonda e o preço salgado (R$ 80 o setor mais barato) foram os principais fatores que deixaram as arquibancadas do Raulino de Oliveira vazias. A ausência de público, aliás, que tem sido uma tônica neste início de Estadual.

Antes de a bola rolar, quem esteve nos arredores do estádio só se atentou que, em instantes, Flamengo e Botafogo se enfrentariam em um mata-mata ao chegar aos portões do estádio.

Ainda assim, a diferença entre os momentos que os times vivem ficou evidente na arquibancada. De um lado, rubro-negros, empolgados, compareceram em um número bem mais considerável. Do outro, alvinegros em um misto de desconfiança e apoio, nem de longe pareciam aquela torcida apaixonada de outrora.

Nem o calor fez aquecer as vendas dos ambulantes que foram aos arredores do Raulino de Oliveira.

- Está mais ou menos. Mas vamos que vamos - disse um vendedor de picolé que estava próximo ao Acesso Branco, destinado às torcidas dos dois times.

UOL Cursos Online

Todos os cursos