Willian Arão e Trauco treinam à parte e devem ficar fora da final

Não deve ser na final contra o Boavista que o técnico Paulo César Carpegiani vai enfim poder contar com o lateral-esquerdo Miguel Trauco e com o volante Willian Arão. A dupla trabalhou à parte nesta quarta-feira, no Ninho do Urubu, com o preparador físico Gustavo Araújo e ainda não estão liberado para a comissão técnica escalá-los.

Willian Arão sofreu uma lesão na coxa em um jogo-treino realizado no Ninho do Urubu, há cerca de duas semanas, contra o Bonsucesso, e desde então iniciou o tratamento. O jogador tem feito trabalhos na academia e já está no campo com a preparação física. Mesmo assim, ao que tudo indica, o volante ainda não vai estrear em 2018 na grande decisão. Seu primeiro jogo deve ser na Taça Rio. Arão é mais um que está sendo preparado para a estreia na Copa Libertadores, diante do River Plate, no dia 28.

Já Trauco, desde que se reapresentou com toda a equipe, não tem sido utilizado. O jogador retornou de férias fora de forma e está em recondicionamento físico desde então. Trauco está há um mês treinando com os preparadores e ainda não está a disposição para ser utilizado por Carpegiani.

A situação de Trauco, inclusive, tem sido questionada na imprensa peruana. O jogador ainda estar aprimorando a forma física é motivo de preocupação, já que ele é o atual titular da posição na seleção que vai disputar a Copa do Mundo, na Rússia. O treinador, Ricardo Gareca, estava no Brasil e conversou com o jogador.

Sem Trauco, Carpegiani tem dado chances para Renê, mas o lateral ainda não é unanimidade. No ano passado, o peruano foi o titular e realizou 53 partidas pela equipe. Já entre os volantes, o treinador rubro-negro utilizou seis opções: Ronaldo, Romulo, Cuéllar, Jonas, Jean Lucas e Hugo Moura.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos