Moisés revela cobrança em reunião pós-Dérbi e pede '110% de vontade'

O elenco do Palmeiras ficou inconformado com a derrota por 2 a 0 para o Corinthians, sábado, em Itaquera, e se cobrou em reunião realizada na segunda-feira. Foi o que disse nesta terça o meia Moisés, que está liberado pelo número de saúde e performance do clube e viajará com o grupo para o jogo contra o Junior Barranquilla, quinta-feira, na Colômbia.

- Claro que não jogamos bem contra o Corinthians, todos estão cientes, mas não vínhamos fazendo partidas ruins. Estávamos jogando um futebol apresentável, digno de elogios de todos vocês. Contra o Corinthians não conseguimos. Ontem tivemos uma conversa entre nós, cada um expôs o que achou do jogo, o que dá para melhorar. Aqui (na sala de imprensa), a gente não pode falar o que pensa, porque criam situações, começam a especular. Mas ali dentro, com a comissão, a gente fala o que viu, o que errou. Tivemos uma conversa bem produtiva. Todo mundo está magoado pela derrota e quer dar uma resposta. Para o torcedor, para a imprensa e para a gente mesmo - disse o camisa 10.

Moisés assegura que não faltou vontade aos jogadores que foram a campo na Arena Corinthians, mas diz que, em determinadas ocasiões, é preciso dar mais do que o máximo:

- Se a gente for olhar o externo, toda vez que você não ganhar um jogo vão falar que faltou vontade. Mas você nunca entra em campo sem vontade de vencer. O que a gente mais tem é vontade de vencer. Só que em alguns momentos 100% de vontade não adianta, você tem que ir além. E talvez tenha faltado um pouco disso, sim. Nós conversamos, sabemos que precisamos melhorar em algumas situações. Ficamos inconformados por perder, não por ser um Dérbi, mas por que um grupo da nossa qualidade tem que se acostumar com vitórias. Mesmo quando vencemos, mas não jogamos bem, temos que ficar chateados - disse ele, já tirando lições para a estreia na Libertadores, às 21h30 desta quinta:

- É algo mágico jogar Libertadores. A gente que cresceu amando futebol sempre imagina situações como essa, ainda mais em um clube como o Palmeiras, tradicional, campeão. É a realização de um sonho, e até por isso temos que procurar dar um algo a mais, não desistir em momento algum. Pela conversa que tivemos ontem, vai ser dessa forma que vamos entrar em campo. Cada um querendo ajudar o companheiro nesse sonho que é jogar e conquistar uma Libertadores. Que a gente possa colocar em prática o que foi falado - completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos