Em clássico de um gol, Cruzeiro vence o Galo e garante liderança do Mineiro

No primeiro clássico do ano pelo Campeonato Mineiro, o Cruzeiro levou a melhor sobre o Atlético-MG, deixou o campo com a vitória por 1 a 0 e ainda garantiu a liderança da primeira fase com duas rodadas de antecedência, quebrando a marca de quatro jogos sem vencer o maior rival. Por outro lado, o Galo, que continua tendo um desempenho oscilante na competição, caiu para o quarto lugar e termina a nona rodada ainda mais distante do objetivo de chegar à vice-liderança.

A partida começou agitada no Independência. Apesar da vantagem de jogar em casa, o Atlético-MG perdeu algumas oportunidades após erros do ataque e o Cruzeiro tentou aproveitar a falha do rival da melhor forma possível. Precisando apenas do empate, a Raposa criou as primeiras chances do jogo, mas foi parada pela defesa fechada do Galo, que ficou perto de abrir o placar aos 19 minutos, quando Otero, em cobrança de falta, lançou uma bomba de fora da área e obrigou Fábio a fazer a defesa com os pés.

Na volta da parada técnica, Rafinha sofreu falta na entrada da grande área e deixou o Cruzeiro em boas condições para abrir o placar. Arriscando a sorte, Robinho foi para a cobrança e acertou o travessão. Os jogadores ainda reclamaram com a arbitragem, pedindo a validação do gol, que não aconteceu já que a bola quicou em cima da linha e saiu. A partir do lance, o clássico começou a ficar complicado. Edílson e Otero se estranharam, o lateral ficou caído e a confusão terminou com um cartão amarelo para cada lado.

Na volta para o segundo tempo, a Raposa abriu o placar com apenas dois minutos de bola rolando. No lance, Rafinha deu um belo passe para Raniel, que ficou de cara com Victor e mandou a bola para o fundo das redes. Como resposta, o goleiro alvinegro cobrou tiro de meta e a bola encontrou Erik. De frente para Fábio, o atacante arriscou o chute, mas o arqueiro fez boa defesa. Antes dos dez minutos, o Cruzeiro ainda ficou com um jogador a menos. Edílson, que já tinha cartão, cometeu falta em Otero e levou o segundo, resultando na expulsão.

Apesar de as duas equipes terem voltado mais ligadas para a etapa final, o Galo continuou sofrendo com a desorganização em campo e com as falhas da arbitragem, que deixou de marcar faltas importantes, como quando o zagueiro Leo acertou a nuca de Ricardo Oliveira, deixando o atacante no chão. Com a vantagem no placar, o Cruzeiro passou a segurar o jogo e se fechar ainda mais na defesa. Pelo Atlético, Otero deu o seu máximo no final da etapa e, após cobrança de escanteio do meia, Léo Silva cabeceou para o gol, mas a bola bateu no travessão e saiu. Sem alteração no placar, o jogo terminou com festa do time celeste.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos