Flamengo se aproxima de acerto para uso do Nilton Santos por três anos

A partida deste sábado entre Flamengo e Botafogo teve o Rubro-Negro como mandante no estádio do Glorioso. Já havia acontecido desta forma na última quarta-feira, contra o River Plate, pela Copa Libertadores, e deve se repetir pelos próximos três anos. Foi o que dirigentes de Botafogo e Flamengo disseram à Rádio Globo.

- Já temos um acordo praticamente fechado para que o Flamengo faça uma determinada quantidade de jogos por ano, em um período de três anos. A ideia é ter esse contrato que está praticamente fechado. A questão agora é de contrato e os (departamentos) jurídicos vão se acertar - acredita Luis Fernando Santos, vice-presidente executivo do Alvinegro.

A iminência do acordo a longo prazo sacramenta a boa relação entre as atuais diretorias. Grupos políticos que estiveram distantes há pouco tempo, mas que vem passando por cima até de provocações reacendidas, como a do "chororô", para que os dois lados saiam beneficiados.

- Não chegou a ser matéria de discussão. Vendo a história de manifestação de jogadores de Botafogo, Flamengo e outros clubes, são manifestações espontâneas. Você pode achar se foi bom ou ruim. São coisas que acontecem, isso faz parte do futebol e temos que relevar isso. O que não pode ter é uma manifestação institucional do clube provocando um co-irmão. Isso temos que eliminar. Temos que incentivar os atletas a ter uma postura respeitosa, mas uma brincadeira ou outra faz parte da natureza do brasileiro - entende Fred Luz, diretor executivo do Rubro-Negro, que concluiu:

- Fizemos um acordo para mandar dois jogos lá, e agora o terceiro contra o próprio Botafogo, o que mostra uma boa vontade das partes. Estamos em um acordo de longo prazo com o Botafogo, acredito que tenha uma chance de anunciar, junto com o Botafogo, esse acordo em um curto espaço de tempo. Então, acho que estamos em um processo muito bom - avalia.

Pelo acordo, o Flamengo encontra uma solução prática para mandar seus jogos. O Alvinegro se beneficia financeiramente, especialmente num ano em que a eliminação da Copa do Brasil foi precoce.

- Não tem nada milionário. Buscamos aumentar o faturamento do estádio. O estádio é um ativo do Botafogo que tem que gerar recursos. Não só para se manter, para ser feita a manutenção, mas, se possível, dar um resultado líquido para o Botafogo. Mas não é milionário. Os preços são justos. É muito mais vantajoso jogar aqui do que no Maracanã. Não apenas pelo valor do aluguel, que é menor, mas principalmente pelos custos operacionais. Nossos custos são abertos. Cada real gasto dentro do estádio o clube que alugou sabe exatamente do que se trata - explica Luis Fernando.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos