Mano Menezes elogia inteligência do Cruzeiro em clássico contra o Atlético

Por conta de lesão de Fred, Mano Menezes precisou mexer no time titular do Cruzeiro. Sem um atacante titular, o técnico escolheu Raniel para ocupar a vaga, deixando Rafael Sobis no banco de reservas. Apesar das dúvidas que pairavam os minutos que antecederam a disputa, o jovem centroavante correspondeu em campo e foi o autor do gol que deu a vitória ao time celeste, rompendo uma sequência de quatro jogos sem triunfo sobre o rival. Feliz com o resultado, o comandante elogiou a atuação de Raniel e explicou a escolha.

- Se tivéssemos Raniel no banco de reservas na terça-feira (derrota por 4 a 2 sobre o Racing, na Argentina), entraria Raniel (na vaga de Fred, que se lesionou nos instantes iniciais daquela partida). Lá na composição do banco, por causa da regra da Conmebol, eu escolhi o Sobis. Sobis também entrou bem lá. A característica é diferente. A opção pelo Raniel no clássico foi para ter mais força. Nosso time é muito técnico, e ter mais um jogador técnico com a função do 9 faz o time tocar muito a bola. Força física é importante. Tivemos a felicidade de escolher bem e eles a competência de realizar bem.

O treinador também elogiou a postura da equipe celeste diante do maior rival em diversos pontos da entrevista coletiva. A boa atuação da defesa e a organização do sistema foi destaque na partida, principalmente após a expulsão de Edílson, que deixou a equipe com 10 jogadores contra 11 do Atlético.

- O time jogou bem, teve postura, mas cometeu erros que não vinha cometendo (na derrota para o Racing). Quando você toma quatro gols, você não vai vencer o jogo. O time tem que ser equilibrado, hoje (contra o Atlético) foi assim, também em seu comportamento. Os clássicos anteriores serviram de referência. Atlético sempre quer acelerar o jogo e não pode jogar um jogo dessa forma no Independência. Isso não termina bem para nós. A equipe foi inteligente no comportamento.

A vitória foi ainda mais importante porque, após o revés diante do Racing, no meio da semana, pela Libertadores, o Cruzeiro ficou em débito com a torcida. Com as pazes feitas, o placar foi garantido aos dois minutos do segundo tempo e, mesmo com a expulsão de Edílson, a equipe soube se posicionar da melhor forma para evitar que o Galo alcançasse o empate.

- A expulsão muda o jogo. Perdendo de 1 a 0, o Atlético fez alterações buscando ser mais ofensivo. Fizemos duas linhas de quatro e deixamos um homem mais solto. Thiago Neves no início e depois o Arrascaeta (que substituiu Thiago Neves na segunda metade da etapa final). Sabíamos que jogaríamos por uma ou duas bolas (a partir da expulsão). Quase fizemos no finalzinho, com o Mancuello, mas a equipe se doou muito defensivamente, foram de um comprometimento elogiável.

O resultado garante a liderança da primeira fase do Campeonato Mineiro ao Cruzeiro com duas rodadas de antecedência. Agora, a Raposa precisa apenas cumprir tabela nos jogos seguintes, diante da URT, às 21h45 da próxima quarta-feira, no Mineirão, e contra o Patrocinense, no dia 11 de março.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos