Após polêmica com o Santos, Romero desabafa: 'Luto contra tudo e todos'

Dois dias após chamar o Santos de pequeno e gerar grande repercussão, Romero fez um pronunciamento na tarde desta terça-feira e desabafou. Na sala de imprensa do CT Joaquim Grava, o atacante do Corinthians pediu para falar em espanhol, atacou jornalistas e disse que "luta contra tudo e contra todos".

Em relação ao Santos, Romero disse que não quis chamar o clube de "pequeno" e que referiu-se apenas pelo fato de o adversário comemorar o empate por 1 a 1 sendo mandante no Pacaembu. O atacante paraguaio também alegou que os jornalistas do Brasil não respeitam os jogadores estrangeiros e lembrou de quando ficou sem falar com a imprensa no ano passado.

"Vou falar em espanhol para ninguém interpretar mal o que eu falar. Vou me sentir melhor falando em espanhol, vou falar o que estou pensando e sobre essa polêmica que foi gerada pelo que eu falei depois do jogo. Eu senti isso depois da partida, pelo momento justamente que foi o empate. Eu nunca falei pela grandeza do Santos, nunca disse que Santos não tinha história, como escutei. Nunca disse que Santos não tem troféu. Só disse pelo que aconteceu dentro da partida. Como vocês jornalistas disseram que foi uma das melhores partidas do campeonato, e por essa razão eu disse que uma partida dessa grandeza comemorar o empate... Se a gente empatasse com o Santos na Arena Corinthians, não creio que iríamos festejar da mesma forma que eles festejaram. Só disse por esse jogo. Em nenhum momento disse que o Santos não tinha história, não teve Pelé, não teve Neymar e não teve Robinho. Vou repetir para que não me entendam mal. Não disse nada antes para ver como vocês faziam polêmica sobre isso, e vi que a maioria dos jornalistas, não digo a torcida do Santos, se sentiram ofendidos. Por isso vi que muitos jornalistas são santistas. Mas queria deixar claro que assim como vocês se sentiram ofendidos, eu estou há quatro anos aqui no Brasil, e nas vezes que vocês me criticam dentro de campo, aceito, eu gosto das críticas para obviamente melhorar, e sei escutar as críticas. Mas quando vocês falam da minha nacionalidade, do meu país, de onde eu nasci e da onde minha família é, aí eu não vou permitir. É extracampo. Quero que vocês só me critiquem pelo que jogo em campo, não pela nacionalidade que eu tenho. Muito escutei, e por isso esperei dois dias para ver o que diziam sobre meu país. E queria ver quais comentários faziam. E eu supostamente ofendi um clube, que é o Santos. E vocês estão, na maioria, estão insultando um país, que é diferente. É totalmente diferente de um clube, que é parte do futebol, tem esse folclore do futebol tratar que uma equipe que é menor. Mas se tratando do país é outra coisa. Não digo que agora que passou isso. Faz quatro anos que estou aqui. Não é só aqui no Corinthians que tem essa situação, não é só comigo, Kazim e Balbuena, e sim com outros estrangeiros que vêm jogar aqui no Brasil. Acho que tem que ter mais respeito com jogadores que vêm jogar aqui. Assim como vocês querem respeito, e eu também sou totalmente contra ao racismo quando se trata aqui, defendo até a morte, é totalmente errado. Não vou poder mudar as pessoas comuns, mas vocês profissionais eu queria que tivessem mais respeito com os jogadores que vêm jogar aqui, especialmente em relação ao meu país. Um periodista estava criticando um atacante do Vasco, um argentino, o Andrés Ríoz. O jornalista disse "esse argentino não joga nada, está parecendo um paraguaio". E eu queria perguntar o que ele tem contra um paraguaio, o que um paraguaio fez a esse jornalista? Esse jornalista foi jogador, e no Paraguai é ídolo, tem muitos fãs. Essas coisas acredito que está demais, tem que repensar. Estava vendo com minha mulher a televisão e me senti insultado. Assim como vocês se insultaram pelo que eu disse sobre o Santos, eu entendo, por isso quis vir aqui deixar claro o que eu disse. Não falei da grandeza do Santos. Eu seria um burro se não conhecesse o que é o Santos, o que foi Pelé. Eu senti que ficaram ofendidos, por isso esperei dois dias. Não teve um que falou que eu tinha razão, só teve críticas pelo que eu disse. Disseram que minha seleção tem menos troféus que o Santos, e não tem nada a ver. Que me critiquem pelo que faço em campo, sem colocar coisas que me incomodam em relação ao meu país. Não vou permitir que se metam com meu país. Vou repetir de novo: não estou falando hoje pelo que passou. Já queria falar. Já tinha falado com vocês antes por que eu tinha deixado de falar com vocês no ano passado. Foi por essa razão que fiquei um ano sem falar com a imprensa. Assim como vocês se sentiram ontem, eu estou me sentindo há quatro anos. Eu falo pelo meu país. Vocês tem preconceito com estrangeiros que vêm jogar aqui. Acredito que, assim com vocês querem respeito, também têm que respeitar os outros. Se vocês não respeitam meu país, como vou respeitar vocês? Deixei de falar um ano, me senti bem. Por isso cada dia mais me identifico muito com esse povo, porque o Corinthians sempre batalhou com tudo e contra todos. E eu faço a mesma coisa desde que cheguei aqui: luto contra tudo e contra todos. Só queria dizer isso e deixar claro isso, porque foi falado muitas coisas de que não respeitei o clube, que disse merda e muitas coisas. Só disse pela situação da partida, por terem empatado no fim e que festejaram como se fosse uma vitória. Só falei da partida, jamais da história do Santos. Só isso. Muito obrigado", disse Romero.

RELEMBRO A POLÊMICA:

Após o empate por 1 a 1, no último domingo, Romero disse que o Santos era "pequeno". O atacante se irritou com alguns jogadores adversários nos minutos finais da partida, quando ele deu um carrinho próximo ao banco de reservas do Santos, e o zagueiro Luiz Felipe chegou a colocar o pé sobre ele. Depois do clássico, o paraguaio provocou na saída de campo.

- O cara me deu uma porrada, mas está tudo bem, é parte do jogo, olha como estão comemorando. É time pequeno - disse o atacante.

Na saída do Pacaembu, Romero preferiu não conversar com os jornalistas. Com fone de ouvido, o paraguaio caminhou rumo ao ônibus do Corinthians. Do lado do Santos, o zagueiro David Braz chamou Romero de "moleque". Além disso, o próprio clube e outros jogadores rebateram com postagens nas rede sociais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos