Marcos Vinícius dá 'start' em nova fase e muda a cara do Botafogo

A história de Marcos Vinícius é peculiar. O meia de 23 anos teve que se ausentar nos primeiros jogos do Botafogo devido a necessidade de regularizar o medicamento que utiliza para o tratamento de asma. Contra o Flamengo, retornou e foi discreto. Já contra o Bangu, nesta terça-feira, se destacou também saindo do banco de reservas. E assim inicia um novo capítulo.

Diante do Bangu, na vitória por 1 a 0, Marcos entrou na vaga de Leo Valencia, que até estava bem, o que não vinha ocorrendo. A estratégia de Alberto Valentim se mostrou a melhor após o intervalo, pois o Alvinegro foi mais enérgico e incisivo no último terço do gramado no Nilton Santos.

- Queria o Marcos mais fazendo a função de camisa 10. Gostei do primeiro tempo com o Léo Valencia, mas queria a qualidade no último passe. Perderíamos na transição ofensiva, Marcos ainda não está no ritmo dos outros. Mas ele fez partida boa, e o gol foi qualidade individual do Pimpão - analisou Alberto Valentim, em entrevista coletiva após o terceiro triunfo na Taça Rio.

Foi do pé direito de Marcos Vinícius o lançamento para o golaço de Rodrigo Pimpão. Ele ainda infernizara a defesa alvirrubra em outras oportunidades, inclusive chegando perto de estufar a rede em jogada individual.

Em suma, foi evidente que a entrada do centralizador Marcos Vinícius deu uma outra dinâmica à equipe, que passou a ser mais vertical. Assim, a tendência é que passe a ter mais oportunidades, até de iniciar jogos, e passe a ser referência ao lado de João Paulo, que mais uma vez foi o "motorzinho" no meio.

O BOTAFOGO QUE INICIOU O JOGO CONTRA O BANGU

O BOTAFOGO QUE ENCERROU O JOGO CONTRA O BANGU

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos