Carille elogia estreias e retornos, e adianta novidades no Corinthians

O técnico Fábio Carille viu o Corinthians abaixo do ideal na vitória por 1 a 0 sobre o Mirassol nesta quarta-feira na Arena Corinthians, mas nem por isso deixou de fazer elogios ao time. O comandante destacou as novidades na escalação e performance de jogadores como Ralf, que reestreou pelo clube, e o lateral-esquerdo Sidcley, estreante da noite.

- O Sidcley foi muito tranquilo, com decisões claras com a bola no pé. Acredito que nosso conjunto prejudicou o Lucca. O Sidcley nos dá uma garantia muito grande. O Maycon se colocou à disposição para ajudar, sei que ele não quer (jogar na lateral). A partir de amanhã (quinta) vamos analisar o Botafogo-SP e já o Deportivo Lara - afirmou Carille sobre o lateral-esquerdo.

- Ralf foi tranquilo, o que falta é ritmo de jogo, é um cara que vem treinando muito forte como sempre. Ele sabe que a parte física é muito importante pela forma que joga, ele vem trabalhando demais, suportou os 90 minutos. Foi acima do esperado pelo tempo que ele não jogava - falou Carille sobre a volta de Ralf.

Carille também adiantou algumas mudanças para o jogo de domingo contra o Botafogo, em Ribeirão Preto, na última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. Mantuan será o substituto de Fagner, suspenso, na lateral direita, e Lucca deve ser mantido, mas no lugar de Clayson, também suspenso. Contra o Mirassol, Lucca foi titular, mas na vaga de Romero, que segundo Carille foi poupado, e não sacado pela polêmica de dizer que o Santos era time pequeno.

- A decisão de tirar o Romero não foi por conta do que aconteceu no domingo, ele tem que assumir as responsabilidades, não é mais um garoto, ele sabe. Tem coisas que o técnico tem de esperar. Como eu tenho ele ou o Clayson, que tomou também o terceiro, ele ia estar fora do jogo em Ribeirão. Eles ficaram fora só do jogo contra a Ferroviária. É questão física para ter um time mais inteiro para as decisões do campeonato - explicou Carille.

Confira outros trechos da coletiva do treinador:

O jogo

O bom do jogo foi confirmar a classificação para a segunda fase do Paulista. Acredito que a semana que passou foi muito pesada e caiu hoje. Teve Palmeiras, viagem para a Colômbia, depois o Santos. O Mirassol jogou na sexta, e nós no domingo. Senti meu time muito abaixo, erramos muito, e a equipe adversária conseguiu ter o controle. Além de não jogar, o Corinthians chegou a ser envolvido em alguns momentos.

Emerson Sheik

O Sheik tem jogado bastante, tem treinado bem. Já tinha gostado da atuação dele na Colômbia. Tem muito a melhorar. O Pedrinho vai começar a ganhar espaço, está melhorando como atleta, estamos ficando muito no pé dele para que ele tome o que tem de tomar e coma o que tem que comer, porque é um garoto que vai nos ajudar bastante.

Time teve menos concentração?

Hoje não foi questão de concentração, vi o vestiário aceso, preleção para cima. Foi questão física, que a semana foi muito pesada. Não vi falta de concentração como em outros momentos, e sim a parte física.

Esse vai ser o esquema contra o Deportivo Lara na Libertadores?

Não posso te falar isso, não vi nada sobre o Lara ainda. Esse esquema foi uma forma que nós achamos, com rendimento bom nesses últimos jogos. Hoje não fizemos um bom jogo, mas vencemos. A partir do momento que tiver mais informações sobre o Lara, vamos definir o que é melhor para o jogo.

Apoio da torcida, em menos número

O torcedor corintiano, estou no meu décimo ano de clube, é especial. Dá para lembrar o que fizeram no Japão, na nossa saída para a final do Japão, o dia da final da Libertadores, chegadas ao Pacaembu em várias decisões... É uma torcida especial, abraça mesmo, já vi o time saindo aplaudido com derrota para o Flamengo na Libertadores. Podem ter certeza de que vão bater marcas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos