Cruzeiro e Minas Arena negociam dívida envolvendo Mineirão

A concessionária que administra o Mineirão, Minas Arena, suspendeu por 30 dias o processo que movia contra o Cruzeiro, na segunda-feira. A ação está na Justiça desde março de 2016, quando a empresa processou a Raposa pelo não pagamento de custos do estádio. O valor era cotado em aproximadamente R$ 9 milhões.

Durante o período de suspensão, espera-se que o clube celeste e a concessionária cheguem a um acordo sobre a dívida. Assim que houver negociação, a ação será retirada por definitivo. Além da discussão da dívida, Cruzeiro e Mineirão vão conversar também sobre os termos do atual contrato entre clube e Minas Arena.

Na sexta-feira passada, foi criada um novo setor no Cruzeiro: a Diretoria de Gestão de Arena, que será gerenciada pelo então diretor de tecnologia da informação do clube, Aristóteles de Paula Loredo. A área é considerada estratégica para tentar reaproximar ainda mais o clube celeste da gestão do Mineirão.

A antiga diretoria do Cruzeiro, encabeçada pelo ex-presidente Gilvan de Pinho Tavares, passou a não quitar os custos de operação do Mineirão, como gastos com funcionários, suporte, segurança, água e luz. A participação do Cruzeiro no custeio é de 70%.

Agora, com a nova diretoria, comandada pelo presidente Wagner Pires de Sá, o clube voltou a pagar as despesas do estádio desde o início de 2018. A nova postura do clube permitiu brecha para novas negociações entre as partes. Nesta temporada, a Raposa fez seis jogos do Mineirão e venceu todos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos