Nos pênaltis, Galo vence o Figueirense e avança às quartas da Copa do Brasil

No Independência, o Galo entrou em campo precisando apenas segurar o resultado do jogo de ida para avançar à quarta fase da Copa do Brasil. Entretanto, a equipe encontrou um Figueirense preparado para a guerra e, após ser derrotada por 2 a 1, foi obrigada a garantir a vaga na disputa de pênaltis.

Diante da torcida, o Atlético-MG sentiu dificuldade para enfrentar o bem treinado Figueirense. Com problemas para criar jogadas perante marcação forte, o time alvinegro perdeu chances nos minutos iniciais e o desempenho foi crucial para que os visitantes dessem as principais arrancadas. Parte delas começaram nos pés do recuperado Maikon Leite, que retornou com tudo após lesão. Responsável pela missão de dar velocidade ao jogo, o meia insistiu em chegadas na área do rival enquanto Roger Guedes tentava pressionar o Figueira.

DISPUTA ACIRRADA NA PRIMEIRA ETAPA

Precisando de um resultado favorável, os visitantes colocaram o goleiro Victor para fazer até defesa de manchete após cobrança de falta de Diego Renan,mas o placar só abriu aos 21 minutos. Após tentativas de aproximação, Zé Antônio viu a oportunidade na falta sofrida por Jorge Henrique e na cobrança, carimbou a bola curvada que encontrou o fundo das redes. A alegria durou pouco para os catarinenses, pois Ricardo Oliveira aproveitou falha na zaga alvinegra para bater cruzado de perna esquerda e deixar tudo igual aos 25 minutos.

De volta à vantagem, o Galo despertou em campo e procurou o rival com ainda mais sede de gols. Em meio a muitas paradas para falta, Ricardo Oliveira arriscou. De cara para a área, o atacante recebeu a bola, matou no peito, girou e mandou uma bomba na direção de Denis, que pulou para fazer a defesa. Apesar de o jogo ter ganhado produtividade nos minutos finais do primeiro tempo, o Atlético foi para o intervalo com a mesma vantagem que entrou em campo.

FIGUEIRENSE DEIXA TUDO IGUAL NO TEMPO REGULAMENTAR

No retorno aos gramados, o jogo voltou a ter a pegada do início do primeiro tempo. Após substituições nas duas equipes, os atletas precisaram se readaptar a nova formação e as chances demoraram a aparecer. Depois de erros de passes e faltas sem rendimento no meio de campo, André Luis tentou fazer pivô, mas deixou a bola sobrar na área para Jorge Henrique tocar rasteiro no canto de Victor de deixar o Figueirense na frente novamente aos 25 minutos.

Apesar de o Figueirense ter apertado a marcação, o Atlético-MG não poupou o rival em busca de espaço. Pela ponta, Ricardo Oliveira arriscou chute rasteiro de canhota e obrigou Denia a cair para evitar o empate. Na sequência, Patric pegou a bola na grade área, mas mandou para fora. Nem os quatro minutos de acréscimos ajudaram a mudar o placar e decisão se arrastou para os pênaltis.

GALO GARANTE VAGA NOS PÊNALTIS

Jorge Henrique foi o primeiro a bater a favor do Figueirense, mas pegou mal e ficou fácil para Victor fazer a defesa. Pelo Galo, Fábio Santos enganou Denis, que caiu para o lado oposto e deixou a bola passar, deixando a torcida enfurecida. André Luís foi o segundo do Figueira e carimbou para a equipe com chute certeiro. No cantinho, Ricardo Oliveira acertou a bola que abriu vantagem para o Galo. Perspicaz, Victor salvou cobrança de Diego Renan e, na sequência, Tomás Andrade marcou para o Galo. Cedrón ainda reduziu a diferença para o Figueira, mas não deu porque na última bola estava Luan, que bateu forte e garantiu o Atlético-MG na quarta fase da Copa do Brasil.

Placar das penalidades: Atlético-MG 4 x 2 Figueirense.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos