Rússia diz que envenenamento de ex-espião seria para atrapalhar a Copa

Ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov deu uma teoria para o envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e sua filha. Para o político, o objetivo é prejudicar a realização da Copa do Mundo. A denúncia foi feita nesta quinta-feira, publicada pela agência de notícias Interfax e reproduzida pela Reuters.

O episódio causou uma crise diplomática entre a Rússia e o Reino Unido. A primeira-ministra britânica, Thereza May, vetou a ida de representantes oficiais para a competição, como ministro e integrantes da família real. No entanto, a seleção inglesa não sofrerá com os impedimentos.

Na última quarta, 23 diplomatas russos foram expulsos do Reino Unido e terão menos de uma semana para deixar o território.

A Grã-Bretanha crê que o envenenamento do ex-espião e sua filha, em Salisbury, na Inglaterra, seja obra da Rússia.

- Não há nenhuma conclusão alternativa, além do fato de que o Estado russo foi culpado pela tentativa de assassinato de Skripal e sua filha e por ameaçar a vida de outros cidadãos britânicos em Salisbury. Isso representa um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido - declarou a primeira-ministra, Thereza May.

FIFA EVITA TOMAR PARTIDO

Sobre a crise diplomática envolvendo o Reino Unido e a Rússia, a Fifa decidiu não se intrometer.

- Cabe a cada país, de forma independente, decide sobre o seu comparecimento - afirmou um porta-voz da entidade.

O governo russo minimizou a decisão da primeira-ministra Thereza May de não enviar representantes oficiais à Copa do Mundo.

- Isso é problema deles. O que importa é se a seleção (inglesa) vem, e ela quer vir. A Copa do Mundo é só uma vez a cada quatro anos - disse o vice-presidente da Federação Russa de Futebol, Nikita Simonyan, à agência "Interfax".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos