São Paulo se controla sob pressão e tem cara de Jardine na saída de bola

Nesta quarta-feira, em seu provável último jogo como técnico interino do São Paulo, André Jardine conseguiu mostrar duas características a serem exploradas por Diego Aguirre. Na vitória por 3 a 0 sobre o CRB, em Maceió (AL), que classificou o clube para a quarta fase da Copa do Brasil, o time mostrou condições de controlar a partida mesmo sob pressão e, principalmente, uma alternativa interessante na saída de bola.

O Tricolor iniciou o confronto no 4-2-3-1, mas teve mais do que Petros se aproximando da linha ofensiva para levar a bola ou ser uma opção. Jardine armou uma movimentação em que Militão ficava como zagueiro, ao lado de Rodrigo Caio e Anderson Martins, com Júnior Tavares subindo para preencher o meio-campo e ser alternativa na frente.

É uma maneira de aproveitar a ofensividade do lateral-esquerdo diferente da imaginada por Dorival Júnior, que o testou como uma espécie de ponta e não gostou. Em Maceió, nessa quarta-feira, Júnior Tavares foi uma peça que aumentava o número no meio-campo, não só ajudando na saída de bola, mas também uma alternativa na marcação para evitar que a equipe alagoana sufocasse o Tricolor.

E essa foi uma das bem-sucedidas opções táticas traçadas por Jardine que fizeram o time ter o controle do jogo mesmo com o CRB empolgado, empurrado por sua torcida, após Marcos Guilherme abrir o placar, aos cinco minutos de jogo. Os anfitriões tentaram entrar na área de todas as formas possíveis, mas só conseguiram uma chance clara no primeiro tempo, com Neto Baiano errando diante do gol vazio.

O São Paulo bloqueou as laterais de sua defesa, principalmente com Militão, pela direita, teve Jucilei guardando sua posição na cabeça de área e, quando alguma tabela passava, Rodrigo Caio estava pronto para desarmar. O CRB não conseguia abrir espaço e, no segundo tempo, não teve nada além de desespero depois de sofrer gols de Valdívia, com um minuto, e Rodrigo Caio, aos 12.

Em seu segundo jogo seguido, Jardine conseguiu impor concentração a uma equipe que, com Dorival, se via perdida enquanto era pressionada, mesmo diante de times fracos, como foi o Madureira, na primeira fase da Copa do Brasil. Cabe a Aguirre, que deve estrear neste sábado, contra o São Caetano, pelas quartas de final do Paulista, manter essa característica e até a inteligência tática bem ajustada no posicionamento de avanço do lateral-esquerdo.

Confira como foi o posicionamento do time no primeiro tempo nessa quarta, com destaque para a movimentação de Júnior Tavares:

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos