Raí fala em tarde triste e reforços e cobra: 'O São Paulo tem de se impor'

Diretor executivo de futebol do São Paulo, Raí foi um dos últimos da delegação do São Paulo a deixar os vestiários do Anacleto Campanella em direção ao ônibus que levaria o grupo para a capital. Falou em uma tarde triste na derrota por 1 a 0 para o São Caetano, que abriu o duelo entre os times pelas quartas de final do Campeonato Paulista e marcou a estreia do técnico Diego Aguirre. E cobrou imposição da equipe em campo na volta, na terça-feira, no Morumbi.

- O Aguirre está começando um trabalho. O São Paulo agora tem uma missão dentro de casa. Tem de se impor. Precisa virar o placar e se manter nessa competição - disse o ex-meia, ciente de que o Tricolor terá de vencer por, no mínimo, dois gols de diferença para ir à semifinal do Paulista, já que vantagem de um gol leva para os pênaltis.

- Foi uma tarde triste. O time começou mal, erramos muito tecnicamente. Não conseguimos nem esboçar uma reação, o time não estava bem - continuou Raí, controlando palavras para não expor os jogadores com críticas públicas, mas sem esconder, novamente, que busca reforços para o restante da temporada.

- Tem opções. Obviamente, vamos buscar ainda mais opções pensando na temporada como um todo, mas, hoje, não dá para avaliar. O time não estava acertando passes, tecnicamente estava ruim. O gramado estava ruim, sol forte, mas isso não é desculpa. Só que não dá para avaliar.

O São Paulo treina na manhã deste domingo, sem a presença da imprensa no CT da Barra Funda. Aguirre ainda terá segunda-feira para trabalhar a equipe antes da decisiva partida de terça-feira, às 21h, no Morumbi.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos