Associação opta por outra empresa e Santos deve perder terreno para CT

O Santos não deve conseguir finalizar a compra de uma área de pouco mais de 280 mil metros quadrados em São Vicente, a qual pretendia usar como centro de treinamento para as categorias de base. Ao menos é o que garantiu Américo Ferreira Neto, presidente da Associação de Funcionários da Cosipa, detentora da área, ao LANCE!. O Peixe havia entregado à AFC uma proposta no valor de R$ 43 milhões, que não foi suficiente para interceptar o negócio com a TRX, empresa que oferece cerca de R$ 40 milhões à vista pelo local e trabalha com infraestrutura, armazenamento e logística.

- Há mais ou menos duas semanas, freamos qualquer outra proposta pela área. Então, levamos o que tínhamos ao nosso Conselho Deliberativo. Ambas as propostas (do Santos e da TRX) foram apresentadas ao Conselho. Ficou então definido que vamos dar prosseguimento ao que foi proposto pela TRX. A área tem 286 mil metros quadrados, campos de futebol, piscina e vegetação. Ambiente bem legal - ponderou Américo, por telefone, e completou:

- Uma parte da área está sob preservação ambiental e quem está querendo comprar sabe disso. Decidimos comercializar a área depois de um tempo no qual perdemos associados e não conseguimos trazer nada de novo. É a melhor escolha.

E O SANTOS?

O Santos recebeu na manhã desta quinta-feira uma carta da Cosipa comunicando sobre a decisão em dar prosseguimento a proposta da TRX. O Alvinegro entende que ainda será procurado pela Cosipa caso o negócio fracasse e segue confiante em ter a área de São Vicente, pois ofereceu R$ 43 milhões, valor superior ao do concorrente.

A reportagem apurou que o clube tem planos B e C caso de fato fique sem a área. Mesmo assim, a área da Cosipa é considera a melhor opção, pois oferece campos prontos para uso e não requer manutenção imediata, satisfazendo a necessidade do clube, que pretende espaçar a distribuição de treinos de suas categorias de base (sub-11, 13, 15, 17, 20), além de sub-23 e Santos B. Hoje o clube conta com o CT Meninos da Vila e com o Rei Pelé, utilizado em sua maior pelo profissional.

Pessoas ligadas ao clube ainda confiam que a negociação com a TRX possa esbarrar em proibições sobre o uso da área. A finalidade esportiva proposta pelo Peixe, por exemplo, se enquadra em fins liberados para o local.

- O CT é um trabalho muito importante feito pelo Andrés Rueda, que foi meu adversário e integra o Comitê Gestor. Já é antiga, já passou por duas gestões anteriores e estava meio empacotado. Fizemos uma proposta e se vocês olharem no contrato, ele diz que se o clube aceitar, passará pelo Conselho Deliberativo. É um ótimo negócio para o clube, mas é importante que todos entendam da mesma forma para que as coisas caminhem de forma ética, transparente, clara, sem problema nenhum. Não vamos botar um tostão, a princípio, é CT da base - havia dito o presidente José Carlos Peres na manhã desta terça-feira. O trabalho feito por Rueda, citado pelo dirigente, fazia parte de sua campanha à presidência, junto com José Renato Quaresma.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos