Roger festeja goleada: 'Intensidade, concentração e jogo coletivo'

O Palmeiras não se satisfez com a vantagem de 3 a 0 construída em Novo Horizonte e venceu o jogo de volta contra o Novorizontino, pela semifinal do Paulistão, por 5 a 0. A postura séria da equipe deixou Roger Machado muito satisfeito.

- O jogo era eliminatório e não estava resolvido. O jogo estava encaminhado em função do bom resultado fora de casa, mas não estava definido. O trabalho todo foi justamente em cima dessa questão. Dependendo da forma como nós reagíssemos desde o primeiro minuto, poderíamos sacramentar nossa vaga tirando a confiança do nosso adversário, que certamente viria para fazer um jogo franco. Fiquei muito satisfeito com essa intensidade do nosso jogo, por nossos atletas entenderem que nessa fase é importante evoluir dentro de campo. Intensidade, concentração e jogo coletivo acima de tudo são aspectos importantes. Mais uma vez, o jogo coletivo vai bem e muitas individualidades aparecem - disse o treinador, sem saber até onde sua equipe pode chegar:

- Sempre há espaço para evolução. Não dá para saber até onde pode evoluir uma equipe que está em construção, mas acredito que pelas últimas atuações que tivemos, consistentes, estamos preparados para as próximas fases. Até onde podemos ir, é difícil precisar.

O Palmeiras conhecerá nesta quinta-feira o seu adversário nas semifinais. Só não será o Santos se o Bragantino eliminar o Corinthians nos pênaltis. Neste caso, o próprio Bragantino seria o rival. Roger quer deixar a palavra "favoritismo" da porta para fora.

- A gente sabe que se a gente não disputar a final vão dizer que tudo foi mal construído, que não vale de nada. O favoritismo não entra em campo. Temos uma vantagem porque a construímos na primeira fase da competição. A vantagem é trazer o segundo jogo para casa, e agora começa do zero novamente. Agora serão dois tempos, mais dois jogos distintos, e o melhor de tudo é fazer dois jogos muito bons. Se for diferente, teremos dificuldades para passar. Vamos ter muita conversa, muita serenidade nesse momento, com os mais velhos ajudando nesse processo com os mais novos, para tentar blindar o que vem de fora. A gente entende o papel da imprensa e o otimismo do torcedor, mas a gente sabe que se não continuar ralando a bunda no chão vai haver dificuldade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos