Topo

Esporte


Saiba o que está "emperrando" renovação do Santos com a Caixa

JOãO MOURA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Gabigol tenta armar jogada pelo Santos contra o Botafogo-SP Imagem: JOãO MOURA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

2018-03-23T06:00:00

23/03/2018 06h00

O Santos tem uma espécie de acordo com a Caixa e segue com a marca do banco estatal estampada em seu uniforme mesmo com o contrato vencido desde dezembro de 2017. O motivo? O clube segue negociando uma renovação de patrocínio master e entende que receberá proporcionalmente o valor da Caixa referente aos meses de janeiro, fevereiro e março renovando ou não o vínculo com o banco. O problema é que a quantia oferecida pela Caixa, de cerca de R$ 10 milhões até o fim da temporada, é considerada baixo.

O contrato (provisório) com a Caixa vence no fim do mês (2 de abril). E mesmo se não assinarmos (a renovação), vão nos pagar de maneira proporcional. Ofereceram muito menos (do que no contrato antigo), mas é coisa de mercado. Marca tem de voltar a crescer. Na questão de patrocínio, é três vezes menos. Inadmissível", ponderou o presidente José Carlos Peres, que depois recuou.

"Mesmo assim, é melhor ter um passarinho na mão do que dois voando. Estamos negociando. Há muitas empresas interessadas. Vamos chegar no valor que a gente quer", declarou.

Na gestão de Modesto Roma Júnior, a Caixa pagou cerca de R$ 11 milhões pelo patrocínio master do clube. O problema é que o montante acabou sendo muito maior, já que ficou estipulado em contrato que o Santos poderia atingir até R$ 16 milhões, contando bônus.

Vale destacar que o Alvinegro pretende lançar seu novo uniforme, agora da Umbro e não mais da Kappa, no dia 14 de abril, data em que completa 106 anos de sua fundação.

Mais Esporte