Daniel Alves 'esquece' o 7 a 1: 'Temos que tentar mudar o presente'

Escolhido por Tite para ser o capitão diante da Alemanha, Daniel Alves concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira. O lateral-direito deixou o 7 a 1 no passado e garantiu foco no presente.

- É um clássico mundial, e sempre há uma certa dificuldade quando você enfrenta equipes desse nível. Tenho falado muitas vezes quando sou questionado sobre isso. Se não podemos mudar o passado, temos que tentar mudar o presente. Estamos aqui para fazer isso - afirmou o jogador, que ressaltou que a Alemanha também terá problemas com a Seleção Brasileira:

- Também temos boas recordações de jogos contra a Alemanha, mas são desafios novos e totalmente diferentes do que aconteceu. O grau de dificuldade existirá tanto para uma parte como para outra. Esperamos estar à altura dessa ocasião e botar em prática todo o trabalho requerido por parte da nossa comissão técnica.

Contra a Rússia, a equipe de Tite enfrentou uma linha de cinco na defesa e teve dificuldades para superar a marcação no primeiro tempo. A Alemanha pode entrar com o mesmo esquema, com a diferença de ter muito mais qualidade. Daniel Alves não quis adiantar como foi a preparação do Brasil para o confronto contra os germânicos.

- Sinceramente, só posso dizer que estamos preparados para enfrentá-los. Se eu falar como vamos fazer, facilitamos a vida dos adversários. Nossa comissão estudou bem e os conceitos nós temos guardados, temos certeza de que vamos por em prática nossa forma de enfrentar adversários assim, sem perder nossas características. O que nos difere de outras seleções é nossa qualidade técnica individual, mas não podemos facilitar.

Em 2014, Daniel Alves estava no banco e não enfrentou a Alemanha no 7 a 1 do Mineirão. O lateral falou sobre o duelo da última Copa do Mundo.

- Eu sempre me preparo para aceitar os momentos que a vida me oferece. Não acredito que tenha sido injustiçado, se o Maicon jogou é porque mereceu, respeito bastante a história dele na seleção brasileira. Na nossa profissão, sempre geramos debates. Acredito que não é demérito nem mérito ficar fora ou dentro, se tiver qualidade do seu lado. Querer estar dentro eu sempre vou querer, mas acredito que a única sensação que tenha ficado daquele momento é a de não poder ajudar de alguma forma, as substituições já tinham sido feitas. Na vida temos que estar preparados para tudo.

Daniel Alves elogiou o trabalho feito por Tite, que recuperou a confiança dos jogadores e o respeito dos adversários.

- Acredito que será um grande jogo, houve evolução nítida na nossa Seleção desde que o professor assumiu. Mas elogios e críticas às vezes debilitam, você não pode absorvê-los se não ajudar a crescer, ser melhor do que somos. O professor é bastante experiente para saber absorver elogios quando eles chegam. Expectativa é ter um grande desempenho e fazer um grande jogo, nos preparamos todos os dias para isso. É um grande teste, são esses adversários que vamos enfrentar no futuro.

Alemanha e Brasil se enfrentam nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), em Berlim.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos