Topo

Esporte


Após longa espera, Morato celebra volta ao São Paulo: 'Marcante'

Rubens Chiri/saopaulofc.net
O atacante volta a ser opção de Aguirre para o jogo contra o Corinthians Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

2018-03-27T08:00:00

27/03/2018 08h00

Aos 25 anos de idade, Morato viveu, no último domingo, uma reestreia pelo São Paulo mais especial do que ele imaginava. Exatos 345 dias depois de seu último jogo, o atacante, que operou o joelho direito, foi chamado pelo técnico Diego Aguirre para entrar em campo aos 35 minutos do segundo tempo da vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, no Morumbi, pelas semifinais do Paulista.

"Nem nos meus melhores sonhos eu poderia imaginar um retorno tão especial assim, principalmente com a vitória. Desde o hino nacional, na beirada do campo, já senti que era um momento especial e particular. Felizmente, tive a oportunidade de jogar. O Aguirre me deu confiança, entrei e estou muito feliz. Sem dúvida, foi um dia marcante", contou o jogador, que ainda arriscou um chute que passou perto da trave do goleiro Cássio.

"Achei que alguém ia me roubar a bola e pensei: 'agora não, ninguém vai me roubar, não, ninguém vai me tomar a bola'. Eu não deixaria que isso acontecesse, nem que eu precisasse chutar a bola para fora, como fiz. Eu tinha de chutar uma bola para o gol para falar 'pronto, sai de mim'".

O jogo foi só o segundo de Morato pelo São Paulo. Emprestado pelo Ituano, ele foi escalado como titular por Rogério Ceni em 19 de abril do ano passado e deu assistência para Pratto na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Em 6 de maio, porém, machucou o joelho direito em jogo-treino contra o Oeste e rompeu dois ligamentos. Passou a trabalhar para ficar à disposição e ganhou a confiança do São Paulo, que ampliou seu contrato até o fim deste ano.

Novamente utilizado, o atacante volta a ser opção de Aguirre para a partida decisiva das semifinais do Campeonato Paulista, nesta quarta-feira, em Itaquera. Mas ele só pensa que, ao São Paulo, basta não perder do Corinthians para chegar à decisão e lutar por um título que não conquista desde 2005.

"Agora, quero conquistar a vaga na final com os meus companheiros. Não posso ser egoísta neste momento e pensar apenas em mim. Claro que tenho os meus objetivos, mas agora é o momento de unir forças. Meus companheiros são sensacionais e merecem uma vaga na fina", falou Morato.

Mais Esporte