Massacre espanhol remete a outras humilhações argentinas. Relembre!

O massacre sofrido para a Espanha deixou os argentinos preocupados com os rumos da seleção na Copa da Rússia, que começa dia 14 de junho. Não é para menos! Além do fato de perder de forma categórica para uma das candidatas ao título, o placar avantajado contrário não é comum na história da Albiceleste. Os 6 a 1 de Madri repetem duas das maiores derrotas. Na Copa de 58, levou o mesmo placar da antiga Tchecoslováquia, em Haelsingborg, na Suécia, resultado que eliminou os sul-americanos ainda na primeira fase. E em 2009, nas Eliminatórias para o Mundial do ano seguinte, os 6 a 1 foram para a Bolívia, em La Paz. O técnico era Maradona e Messi esteve em campo, diferentemente do que aconteceu contra os espanhóis. O brasileiro naturalizado boliviano Marcelo Moreno foi um dos artífices do resultado.

Outra "surra" que tornou-se famosa foi para a Colômbia, também em eliminatórias. Em 1993, no Monumental de Nuñez, estádio do River Plate, os 5 a 0 forçaram a equipe a disputar a repescagem, deixando-a em risco de não ir à Copa. A exibição de gala dos colombianos rendeu até aplausos do público local e colocou a seleção de Higuita e Valderrama entre as favoritas.

A Argentina sofreu outras derrotas vexatórias diante de rivais do continente, especialmente para Brasil e Uruguai, entre os anos 40 e 60. Confira:

1945 - Paraguai 5 x 1 Argentina - amistoso

1945 - Brasil 6 x 2 Argentina - Copa Roca

1959 - Uruguai 5 x 0 Argentina - Campeonato sul-americano extra

1960 - Brasil 5 x 1 Argentina - Taça do Atlântico

1963 - Brasil 5 x 2 Argentina - Copa Roca

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos