O curioso caso de Vecchio: técnico do Santos fala sobre 'sumiço' do meia

Eliminado do Campeonato Paulista na noite da última terça-feira, no Pacaembu, diante do Palmeiras, nos pênaltis, o Santos terá tempo para trabalhar até o próximo jogo, agora pela Libertadores, no dia 5 de abril, contra o Estudiantes, em Quilmes, na Argentina. Justamente o país natal de Emiliano Vecchio, meia gringo que foi titular nos 11 primeiros jogos do Peixe no estadual. Na competição, foi sacado do time e nem sequer participou do mata-mata contra Botafogo e o rival alviverde. Após a eliminação, o técnico Jair Ventura esclareceu o motivo do sumiço.

No total da temporada, Vecchio disputou 13 jogos. Dois deles pela Libertadores e os outros 11 pelo Paulistão. Somados, são 1003 minutos em campo com a camisa do Santos. Para Jair, o retorno do jogador acontecerá de maneira natural.

"Não está em baixa técnica e nem houve qualquer tipo de problema. Vecchio é um cara fantástico. Deu uma declaração no vestiário depois do jogo muito legal. É um cara muito bom de grupo. Ele faz parte de um processo e pode ser que volte a jogar em breve", disse Jair, e completou:

"O grupo do Santos me abraçou, me sinto bem aqui. Treinador, às vezes, é muito chato, cobra, corrige, mostra vídeos e eu sinto que o grupo quer isso, quer mais e mais trabalho. O Santos tem um ótimo elenco e Vecchio faz parte disso, vibra no banco, é de grupo".

Com o sumiço de Vecchio, Jair passou a testar novas opções no meio-campo. Usou Jean Mota, Vitor Bueno e até o atacante Diogo Vitor no setor de criação. Contra o Palmeiras, entrou em campo com quatro atacantes: Eduardo Sasha, Rodrygo, Gabriel e Arthur Gomes, sem um meia fixo. O carioca de 39 anos busca solucionar o quebra-cabeça no time santista, já que dificilmente poderá contar com a chegada de algum reforço para a posição.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos