Vai parar a cidade! O que faz a final de 2018 ser um Dérbi ainda maior

Uma final que vai parar a cidade! Corinthians x Palmeiras, Palmeiras x Corinthians. Dia 31 de março, em Itaquera. Dia 8 de abril, no Allianz Parque. Não faltam ingredientes para agigantar ainda mais um clássico que já é gigante por sua história de 101 anos. O primeiro deles: Verdão e Timão não decidem nenhum campeonato desde 1999, quando os rivais fizeram a final do Campeonato Paulista, vencida pelo Corinthians na famosa tarde em que as embaixadinhas de Edilson provocaram uma pancadaria em campo.

Após 19 anos, Palmeiras e Corinthians voltam a fazer um clássico numa final. Será a primeira vez que haverá um mata-mata (ida e volta) nas duas novas arenas - o único Dérbi decisivo após a inauguração dos estádios foi a semi do Paulista de 2015, vencida pelo Verdão nos pênaltis em partida única. Agora é a vez de o Allianz Parque receber um Dérbi em decisão pela primeira vez (no único mata-mata que valeu taça na arena palmeirense, aberta em 2014, o Palmeiras venceu o Santos na final da Copa do Brasil de 2015).

Há também o retrospecto histórico do confronto para apimentar o Dérbi. Após vencer quatro jogos seguidos contra o rival, algo que não acontecia desde 1985, o Corinthians tem, em suas contas, a chance de ultrapassar o Palmeiras na conta geral, hoje com 125 vitórias palmeirenses e 124 corintianas na visão alvinegra. As contas do Verdão são diferentes: 129 do Palmeiras contra 126 do rival - jogos de Torneio Início passaram a ser considerados pelo clube. A divergência, sem dúvidas, vai gerar polêmica entre os torcedores e também historiadores.

É a primeira final entre Corinthians e Palmeiras neste século! O último mata-mata foi a semi de 2015, vencida pelo Verdão nas penalidades após 2 a 2 no tempo normal, em Itaquera (o Alviverde ficou com o vice do Paulistão).

Quer mais ingredientes? Pois em 2018 a histórica final de 1993, vencida pelo Palmeiras, completa 25 anos. O Verdão encerrou em 12 de junho daquele ano, contra o Timão, um jejum de 16 anos sem títulos. Após derrota por 1 a 0 no jogo de ida, o Palmeiras enfiou 4 a 0 na volta e levantou a taça. O feito virou até música da organizada, que canta um dos versos de suas músicas em todas as partidas até hoje "em 1993, nós ganhamos o Paulistão...".

Palmeiras e Corinthians já fizeram finais de Paulistão em seis oportunidades. Palmeirenses venceram três: 1936, 1974 e 1993. Corintianos venceram três: 1954, 1995 e 1999. Nos anos 90, o Verdão venceu ainda uma final de Campeonato Brasileiro sobre o rival, em 1994, e uma do Rio-SP, em 1993 (triunfou em outra pelo mesmo torneio regional em 1951). Por todas competições, o Alviverde venceu seis finais contra três do Alvinegro.

Na última final, há 19 anos, o Palmeiras também dividiu as atenções com a Copa Libertadores, algo que irá se repetir em 2018 (equipe encara o Alianza Lima, no dia 3 de abril, e o Boca Juniors, no dia 11, com jogos em casa).

A diferença é que em 1999 o Verdão conciliou o Dérbi com a final da Libertadores e mandou um time reserva a campo no jogo de ida: Timão venceu por 3 a 0. Na volta, um empate em 2 a 2, no qual os palmeirenses entraram em campo com cabelos pintados de verde pelo título da Liberta recém-conquistado diante do Deportivo Cali, deu o título ao Corinthians. O corintiano Edilson fez embaixadinhas no fim do jogo para provocar, o palmeirense Paulo Nunes o agrediu com chute e uma briga generalizada encerrou o Dérbi mais cedo.

O Timão vive um momento de supremacia: venceu todos os Dérbis de 2017 (1 a 0, 2 a 0 e 3 a 2) e o único de 2018: 2 a 0, pela primeira fase do Paulistão, na Arena Corinthians. O último jogo terminou quente, com expulsão de Jailson e acusações palmeirense de "roubo" que ainda repercutem no TJD - goleiro está sob efeito suspenso, será julgado na terça, e pode não estar em campo na finalíssima do dia 8 de abril. A quadra corintiana não acontecia desde 1985 - a última quadra palmeirense foi entre 2007 e 2008.

O Palmeiras tem a melhor campanha do Paulistão, com 35 pontos na classificação geral. O Corinthians é o segundo, com 29. A vantagem dá ao Verdão a única vantagem de decidir em casa. Dois resultados iguais levarão a disputa aos pênaltis, assim como aconteceu nas duas semifinais entre Verdão e Santos e Timão e São Paulo. Vem aí um Dérbi gigante e histórico!

A ÚLTIMA FINAL

JOGO DE VOLTA - CORINTHIANS 2X2 PALMEIRAS

Local: Estádio do Morumbi - São Paulo (SP)

Data: 20/06/1999

Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)

Público: não disponível

Renda: não disponível

Gols: Marcelinho (34'/ 1º), Evair (36' e 39'/1º) e Edílson (29'/2º)

CORINTHIANS: Maurício; Índio, Gamarra, Nenê e Silvinho; Rincón, Vampeta, Ricardinho e Marcelinho; Edílson e Fernando Baiano (Dinei). Téc.: Oswaldo de Oliveira.

PALMEIRAS: Marcos; Arce, Roque Júnior, Cléber e Júnior; Rogério, Zinho, Alex (Agnaldo, depois Galeano) e Paulo Nunes; Oséas e Evair. Téc.: Luiz Felipe Scolari.

AS CONTAS DO DÉRBI

PALMEIRAS registra: 364 confrontos, com 129 vitórias do Verdão, 125 triunfos do Timão e 110 empates, com 520 gols alviverdes e 480 gols dos alvinegros.

CORINTHIANS registra: 354 jogos, com 125 vitórias do Verdão, 124 do Timão e 106 empates, com 513 gols alviverdes e 476 gols alvinegros.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos