Valeu a pena até agora? Veja como estão os 7 reforços do São Paulo em 2018

  • Érico Leonan / São Paulo

O São Paulo está prestes a anunciar seu oitavo reforço na temporada: o atacante uruguaio Gonzalo Carneiro, de 22 anos, por quem o clube desembolsará US$ 800 mil (R$ 2,6 milhões) ao Defensor por 50% de seus direitos econômicos. E a expectativa é de que ele tenha o sucesso que, até agora, poucos dos contratados em 2018 tiveram na equipe.

Das sete novidades no elenco, o único que ainda não estreou é Régis, que veio do São Bento e não poderia mais disputar o Campeonato Paulista por outro time. Mas dos outros seis, atualmente, só dois são titulares (Nenê e Tréllez), outros dois estão machucados (Anderson Martins e Valdívia) e nenhum ainda desperta total confiança da torcida.

O LANCE! analisa caso a caso todos os reforços trazidos na gestão de Raí como diretor executivo de futebol do São Paulo:

Jean (seis jogos, cinco gols sofridos)

O São Paulo pagou aproximadamente R$ 10 milhões ao Bahia para trazer o goleiro de 22 anos, que assinou contrato de cinco temporadas. Jean vinha se destacando nos treinos e, em 28 de fevereiro, quando Sidão sentiu lesão muscular, o camisa 1 ganhou a chance de estrear na vitória por 2 a 0 sobre o CRB, ouvindo a torcida cantar intensamente seu nome no Morumbi.

Mas o goleiro teve falhas que comprometeram sua continuidade. Levou um gol do Red Bull ao errar na troca de passes com os pés. Em seu último jogo como titular, no último dia 17, fez belas defesas, mas saiu muito mal do gol, deixando a meta aberta para Chiquinho fazer 1 a 0 para o São Caetano, deixando o time tricolor em desvantagem nas quartas de final do Campeonato Paulista.

Em meio aos problemas em campo, Jean ainda se envolveu em confusão com Sidão, com direito a indiretas trocadas entre eles nas redes sociais e que precisou da intervenção da diretoria, há dez dias, para selar a paz. Sidão recuperou sua vaga assim que reuniu condições físicas, após seis jogos com a meta são-paulina defendida por Jean.

Diego Souza (16 jogos, três gols)

O meia-atacante também custou cerca R$ 10 milhões ao Tricolor e disse que saiu do Sport para ter visibilidade e chance de estar na Copa do Mundo, vestindo a camisa 9, já que Tite só o convocou como centroavante. Mas o jogador de 32 anos, com contrato até o fim de 2019, não é nem titular do time e vem sendo um dos mais criticados pela torcida.

Diego Souza tinha a confiança de Dorival Júnior, que o queria como referência no ataque, mas não parado. O técnico, porém, já o tinha deixado no banco antes mesmo de ser demitido e, mesmo com Diego Aguirre, ele só mostrou bons momentos atuando como um jogador que chega à área. Na primeira semifinal do Paulista, no fim de semana passado, quando o São Paulo venceu o Corinthians, ele nem saiu da reserva.

O camisa 9 é um dos artilheiros da equipe na temporada, com três gols marcados, mas ficou marcado na eliminação do time no Paulistão pela má atuação em Itaquera, na última quarta-feira, e ainda ter desperdiçado sua cobrança de pênalti, a primeira do clube na disputa, chutando nas mãos do goleiro Cássio.

Anderson Martins (quatros jogos, nenhum gol)

O zagueiro de 30 anos rescindiu com o Vasco para assinar contrato até o fim de 2020 pelo Tricolor. Chegou com status de titular, mas vem sofrendo com frequentes problemas físicos. Atualmente, trata de dores na região dorsal, sem previsão de volta. Ele atuou só em quatro jogos e não entra em campo desde a vitória por 3 a 0 sobre o CRB, em 14 de março, em Maceió (AL).

Nenê (14 jogos, três gols)

O meia-atacante de 36 anos saiu do Vasco para assinar com o São Paulo, seu clube do coração, até o final de 2019. E é atualmente o reforço com melhor momento no clube, sendo titular e ganhando ainda mais força com a chegada de Diego Aguirre.

Com Dorival Júnior, Nenê já chegou como titular, mas o ataque ficava lento com sua presença e ele perdeu espaço. Já Aguirre tem utilizado o camisa 7 mais centralizado, até como referência na frente em alguns momentos, e ele foi um dos destaques do time na semifinal do Campeonato Paulista, inclusive fazendo o único gol do clube nos confrontos. Balançou as redes três vezes e é um dos artilheiros da equipe na temporada.

Tréllez (dez jogos, um gol)

O São Paulo gastou cerca de R$ 6 milhões para tirar o atacante de 28 anos do Vitória e assinar contrato de quatro anos com ele. O colombiano virou titular com Diego Aguirre e é exaltado por sua disposição em campo para ser um centroavante que incomoda os zagueiros e brigar pela bola quando joga pelos lados.

Mas vem pesando contra o camisa 17 alguns erros técnicos. Tréllez vem se notabilizando por perder chances claras de gol, como ele mesmo admite, e isso ocorreu diante de Cássio na derrota para o Corinthians que eliminou o clube do Paulistão, na quarta-feira. Está longe de agradar completamente.

Valdívia (11 jogos, dois gols)

O meia-atacante de 23 anos, emprestado pelo Inter até o fim do ano, vinha sendo um dos destaques do time com Dorival Júnior ou Diego Aguirre. Até agora, é o reforço que atingiu melhor nível. Mas, atualmente, trata estiramento na coxa esquerda, ficou fora das duas partidas da semifinal do Paulista e continuará desfalcando o time nesta quarta-feira, contra o Atlético-PR. A previsão mais otimista é de que enfrente o Rosario Central, no dia 12.

Régis (ainda não estreou)

Como jogou o Campeonato Paulista pelo São Bento, o lateral de 28 anos só poderá estrear nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil. Está treinando no CT da Barra Funda desde o começo do mês e seu contrato é válido até o dia 30 de abril de 2019, com possibilidade de renovação por mais três temporadas.

Régis vem atuando mais como lateral-direito, posição que a diretoria julga carente no elenco - Militão vem agradando, mas está improvisado no setor, e Bruno não convence. Mas o ex-jogador do São Bento também pode atuar pela esquerda ou no meio-campo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos