Sem Caio e Zelarayán, Santos prolonga novela por um camisa 10

Nem Caio Henrique, nem Lucas Zelarayán. Depois de duas negociações frustradas, o Santos segue sem um camisa 10 clássico. A janela de estrangeiros para o Brasil fechou na última segunda-feira e o desejo pelos meias não se concretizou.

Inicialmente o Peixe se empolgou com Caio. Cria da base, o jovem revelou o desejo de retornar ao Alvinegro nos últimos dias, e, consequentemente, o presidente José Carlos Peres iniciou a negociação. Porém, recuou após os valores impostos.

O Atlético insistiu em pedir 3 milhões de euros (cerca de R$ 12 milhões) pelo passe fixado de compra do atleta, enquanto Peres queria pagar apenas metade disso. O salário também foi um problema.

Zelarayán era a segunda opção de Peres. O mandatário vê talento no meia do time mexicano e tentava um acordo desde janeiro, mas esbarrou na diretoria mexicana, que negou a liberação do atleta. O meia tem sido utilizado com frequência pelo técnico Ricardo Ferretti.

Peres vê o camisa 10 do Santos como uma prioridade desde fevereiro. Porém, sem qualquer acerto, ele segue em busca de um atleta para reforçar o meio de campo do Santos.

- Nós precisamos de um camisa 10. Pode ser um que estamos trabalhando e está próximo, que vem lá do México (o argentino Zelarayán, do Tigres), ou pode ser um aqui do mercado nacional. O que nós não podemos ficar é sem o 10 - disse em evento da CBF, no Rio de Janeiro.

De volta ao Brasil, o presidente viajou ao México nos últimos dias para tratar de interesses do Peixe, que são mantidos em sigilo, e por aproximação com clubes da região para promover amistosos no período da Copa do Mundo, na Rússia. Zelarayán também era pauta, mas conversas não evoluíram.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos