Valencia tenta deixar histórico de polêmicas e ser campeão no Botafogo

A intensa reclamação de Leonardo Valencia após ser substituído, no último domingo, repercutiu imediatamente. Tanto a cobrança da diretoria do Botafogo quanto a retratação do meia foram poucas horas após a derrota para o Vasco. Nesta terça-feira, o Glorioso se reapresentou no Estádio Nilton Santos e o jogador seguia descontraído, com bom ambiente. E no próximo fim de semana ele poderá deixar essa e outras polêmicas no passado e ser campeão.

Num universo blindado como o do futebol, o histórico de indisposições em que o chileno esteve envolvido é acima da média. No país natal, por exemplo, no início de 2016, discutiu com o então treinador da Universidad de Chile, Sebastián Becaccece. Na ocasião, o técnico disse que não lhe escalaria numa partida. O atleta respondeu, então, para que não o fizesse mais dali em diante.

Na mesma La U, foi suspenso - com mais quatro jogadores - após acusação de estarem numa festa durante momento delicado da equipe. O grupo não teria se reapresentado em boas condições e a diretoria interpretou o caso como um ato de indisciplina. Ao se desculpar, Valencia fez uso do Instagram, mesma rede social pela qual se retratou, no último domingo. Ainda na La U, há registros também de o jogador ter descumprido orientações de repouso.

O meio-campista do Botafogo tem 26 anos. Quem o conhece desde a adolescência conta que é da personalidade dele querer estar sempre em campo para ajudar o time que defende, como o próprio atleta escreveu, três dias atrás.

Antes de ser regularizado pelo Alvinegro, em meados do ano passado, Valencia ainda teve que resolver pendências judiciais. Num trâmite que envolveu a Polícia Federal do Brasil e o Ministério das Relações Exteriores do Chile, demorou, mas obteve o visto de trabalho. Ele provou ter cumprido a pena aplicada após ser acusado e julgado por agressão à ex-mulher.

Apesar da grande expectativa sob a qual foi contratado, Valencia teve muita dificuldade para se firmar entre os titulares do Glorioso, no ano passado. Com Jair Ventura no comando, foi o único jogador criticado publicamente por baixo rendimento técnico. Também causou mal-estar interno por ter se apresentado à seleção chilena mesmo se queixado, no clube, de problemas físicos.

Com tudo isso, o meia mudou radicalmente de status em 2018. Começou de titular e é um dos atletas que mais jogaram pelo Botafogo na temporada, com 15 partidas. Marcou um gol apenas, de falta, e vem sendo importante nas bolas paradas ofensivas da equipe de Alberto Valentim. Desta forma ou com a bola rolando, o passado conturbado pode ficar para trás caso ajude o Glorioso na desejada conquista do Campeonato Carioca, no domingo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos