Quase desfalque no Santos, Vanderlei faz 'milagres' parecerem corriqueiros

Para o santista, com certeza, uma atuação como a de Vanderlei, na última quinta-feira, não passa de apenas mais uma, algo corriqueiro, um jogo qualquer em que o melhor goleiro em atividade no país (com respeito às opiniões diferentes) salvou o time de uma derrota. No entanto, essa sequência de milagres não é comum aos olhos estrangeiros, que o elegeram o melhor da partida, e não pouparam elogios após a partida no Estádio Centenário, em Quilmes.

Essa apresentação incrível por pouco não aconteceu. No treino da última quarta-feira, já na Argentina, onde no dia seguinte enfrentaria o Estudiantes, Vanderlei levou uma bolada em uma de suas mãos e precisou passar por um tratamento intensivo para poder entrar em campo e brilhar outra vez com a camisa do Peixe.

- Foi uma bolada na mão, está roxa aqui, mas é coisa normal do futebol. Estamos sujeitos a isso, a sempre ter lesões, mas consegui recuperar bem. A nossa fisioterapia conseguiu recuperar minha mão. A gente quer entrar em campo e fazer nosso melhor como foi hoje - declarou humildemente o camisa 1 do Santos.

É verdade que a tática adotada pelos santistas chamou o Estudiantes para o seu campo e, assim, proporcionou que o clube argentino chegasse mais vezes perto do gol. Inconscientemente ou não, só usa esse tipo de estratégia um time e uma comissão técnica que confia plenamente em seu goleiro, até porque esse goleiro entrega sempre o que se espera dele, ou mais.

A primeira grande defesa de Vanderlei aconteceu seis minutos antes de o Santos abrir o placar e marcar o gol da vitória. O zagueiro Schunke subiu muito e cabeceou forte, obrigando o goleiro santista ao primeiro milagre. Um gol, naquele momento, mudaria completamente a história do jogo. O Estudiantes fazia uma pressão enorme e, se concretizasse uma chance, poderia 'abrir a porteira'.

É nessas horas que o craque faz a diferença, muda a 'chavinha' da partida, impõe o respeito e mostra, com defesas, que o time adversário poderia jogar o tempo que fosse necessário, porque naquele dia nada entraria. E foi assim, com mais nove defesas, três delas de alta dificuldade, duas nos dez minutos finais, que foi garantida mais uma vitória do Peixe na Libertadores.

Vanderlei não deve disputar a Copa do Mundo, injustiça talvez seja uma palavra forte, talvez lamente-se a falta de chances ao goleiro na Seleção Brasileira. O torcedor santista, porém, já elegeu o seu herói e já o convocou para o patamar de santo milagreiro, com um altar próprio, à espera de mais milagres, com a certeza de que eles irão acontecer.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos