Em boa fase, Brenner afasta críticas e dificulta a concorrência no Botafogo

A desconfiança sobre o time do Botafogo diminuiu com o título carioca, mas era grande antes do início do ano. Para a posição de centroavante, então, muito mais. Brenner era o titular, apesar da explícita necessidade de contratação de outro jogador. Esse jogador, Kieza, até chegou, mas a antiguidade manteve o posto justificadamente.

- Vivi boa fase no Inter também. Aqui, o Kieza chegou e, por opção, o Valentim o colocou. Normal. Acabou sendo, de certa forma, melhor. Pude trabalhar a forma física. Sabia que, quando tivesse oportunidade, teria que mostrar serviço. O Kieza sentiu uma lesão e eu estava preparado. Quando o professor me colocou, eu pude aproveitar - comemora Brenner.

Mesmo para quem não gosta do futebol de Brenner está difícil discordar da boa fase do camisa 9 (18 na Sul-Americana). São 17 partidas na temporada e sete gols marcados, mais uma assistência. Balançou as redes quando foi titular: uma vez a cada dois jogos, na média. A última comemoração foi nesta quinta-feira, contra o Audax Italiano.

Foram quatro gols nos últimos sete jogos. Kieza vem ficando como opção no banco de reservas, e nem entrou na última partida. Aguirre vem aí e também pode fazer a função de 9.

O contrato de Brenner com o Botafogo vai até o fim do ano. Envolvido na negociação que levou Camilo, no ano passado, para o Internacional, ele está emprestado pelo Colorado. Ainda não houve conversas entre os clubes para eventual permanência do jogador no clube de General Severiano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos