Jair valoriza performance do Santos, banca Gabigol e vibra com Rodrygo

Jair Ventura ficou extremamente satisfeito com o resultado e, principalmente, com a performance do Santos neste sábado, no Pacaembu, contra o Ceará. Feliz com mais uma belíssima atuação do garoto Rodrygo, de 17 anos, fez questão de defender o atacante Gabigol de possíveis críticas e ainda exaltou o bom futebol apresentado pelo volante Léo Cittadini, que recuperou seu posto de titular, desbancando o veterano Renato.

- O ideal era conquistar essa vitória para a torcida. Fico feliz de quebrar o tabu de 12 anos. Esse grupo merece, batemos na trave no Paulistão. Colocamos na nossa cabeça que cada jogo é uma final. Respeitamos o Ceará, mas controlamos o jogo. Volto a exaltar o tempo de trabalho que tivemos. Quando o treinador tem tempo de trabalho, as coisas acontecem melhor. Tivemos uma boa performance e um bom resultado. Gosto de aliar essas duas coisas - disse, durante entrevista coletiva, e completou:

- Cittadini fez uma partida fantástica. Já estava brigando por posição e perdeu pela lesão. Hoje sustentou os 90 minutos. O coletivo foi muito forte. Conseguimos implementar tudo o que fizemos na semana. Quatro sessões de trabalhos táticos comigo. Transformamos em bom resultado e boa performance. Os resultados aparecem.

'O céu é o limite'

Jair ficou encantado com mais uma boa atuação de Rodrygo. Questionado sobre até onde o garoto pode chegar, o "professor" resumiu: o céu é o limite para o mais novo Menino da Vila.

- Ele chegou e houve pressão para ele ser titular. É função do treinador saber lançar esses jovens. Tem um tempo de maturação. Alcançou gradativamente seu espaço no time. Sustentou a condição física. Pode jogar aberto, como um meia centralizado, joga nos dois externos, é diferenciado. Cada vez com mais jogos, mais rodagem e entrosamento, tende a crescer cada vez mais. O céu é o limite para um jogador como o Rodrygo. É uma joia.

Gabigol com fome de gol

Chamado por parte da torcida de "fominha" pelo excesso de chances desperdiçadas durante a partida, o atacante Gabigol foi defendido por Jair. Vale destacar que o camisa 10 tem sido usado como um centroavante e, segundo o técnico, é por isso que tem tanta "fome de gol".

- Gabriel é o '9', e quer fazer gol. É a gana de fazer gol. Joga coletivamente. Nove quer sempre fazer o gol. É só ansiedade por esse momento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos