Benzema admite ficar fora da Copa: 'Se precisarem, sabem onde estou'

Karim Benzema já está conformado em não participar da Copa do Mundo da Rússia. Fora da seleção francesa desde outubro de 2015 por conta do escândalo de chantagem com o ex-companheiro Mathieu Valbuena, ele concedeu entrevista à revista "Vanity Fair" e disse que o treinador Didier Deschamps sabe onde encontrá-lo caso necessite.

- O que eu posso fazer? Nada. Já tenho 30 anos, dois filhos. Estou tranquilo aqui. Se precisarem de mim, já sabem onde estou. Não falo com o treinador há muito tempo. Sem trocar palavras é muito difícil.

Benzema também falou sobre aspecto político. Ele explicou o motivo de não cantar o hino francês e o comentário do primeiro-ministro gaulês, Manuel Valls.

- Se ouvirmos bem, a Marselhesa incita a guerra. Não gosto disso. Quando um primeiro ministro fala de você já não é futebol. Acho que não tem que misturar futebol e política. No meu caso o assunto é político - afirmou o camisa 9 do Real Madrid.

No próprio time merengue, Benzema não vive boa fase. A imprensa espanhola crava que ele deve sair do Real na próxima temporada e já coloca alguns possíveis substitutos, como Lewandowski e Harry Kane. São apenas nove gols em 38 partidas em 2017/18.

- Jogo futebol para ajudar os meus companheiros e para ganhar tudo. Se vejo que posso passar para que outro marque, eu o faço. Se acho que eu posso marcar, então que finalizo. É indiferente que meu nome esteja sempre nos jornais, isso não significa nada. Jogo para que valorizem o que eu faço em campo. Os que vão ao estádio vaiar vaiam. Não vou mudá-los - disparou:

- Não é que eu seja indiferente quando falam mal de mim, mas eu sou justo. Quando eu jogo mal não preciso ler o jornal para saber. O que eu não gosto é que me ataquem quando jogo bem, ainda que não faça um gol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos