No comando do Arsenal, Wenger recusou ofertas de gigantes europeus

Ao longo de 22 anos de Arsène Wenger no comando do Arsenal, é normal que propostas de outros clubes tenham aparecido para tirarem o treinador dos Gunners. Foram muitas ofertas e até mesmo tentadores. Times como Real Madrid Bayern, PSG e Manchester United já tentaram contratar o técnico.

Wenger chegou ao Arsenal em 1996 e a primeira grande proposta apareceu em 2001. Com o anúncio da aposentadoria de Alex Ferguson, o Manchester United tentou contratar o técnico dos Gunners, que recusou.

Em 2004, uma proposta tentadora do Real Madrid chamou a atenção do técnico, que havia conquistado o título inglês de maneira invicta. Porém, a boa fase de Wenger no Arsenal, pesou a favor dos Gunners.

Wenger ainda recebeu outras duas propostas do Real Madrid. Em 2006, o candidato à presidência Villar Mir queria usar a contratação do técnico como base da campanha, mas não foi eleito. Em 2009, Florentino Pérez tentou mais uma vez acertar com o treinador, mas o negócio não aconteceu.

Ainda em 2009, outras duas equipes se interessaram por Wenger. O Bayern até tentou o contato com o treinador, mas nada foi concretizado. Também houve rumores de que o Manchester City também estava de olho. O PSG também tentou a contratação em 2012.

Em 2016, a proposta não veio de um clube e sim de uma seleção. A Inglaterra convidou Wenger para comandar o time, mas o treinador recusou a oferta pois queria cumprir o contrato com o Arsenal.

Por fim, uma proposta astronômica da China. Segundo a imprensa inglesa, os valores chegaram a 30 milhões de libras (R$ 144 milhões). Mas Wenger continuou no Arsenal.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos