Jean quer dividir a '10' do Peixe com Léo Cittadini e torce por festa na Vila

Titular do Santos no meio-campo, Jean Mota acredita que pode ser sim o camisa 10 da equipe ao longo da temporada. O Peixe busca um meio-campista no mercado desde o início da temporada, mas ainda não conseguiu contratar. Feliz com a titularidade, Jean quer dividir a armação com Léo Cittadini e espera por uma grande festa da torcida nesta terça-feira, na Vila Belmiro, em duelo contra o Estudiantes-ARG, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores.

- Posso ser o camisa 10. O Cittadini também faz esta função quando fico com o Alison. Claro que todo reforço é bom para compor elenco e buscar o título, mas dentro do nosso elenco temos jogadores de qualidade - disse, durante entrevista coletiva nesta segunda-feira, no CT Rei Pelé, e completou:

- Não sou dono da posição porque temos um grupo qualificado, sempre terá uma briga pela titularidade. Sempre temos algo a melhor. Isso o Jair vê nos jogos e me passa para melhor. Sempre vai ter briga.

Uma vitória e uma boa atuação nesta terça podem ajudar Jean a se manter entre os titulares e provar que pode ser, de fato, o camisa 10 da equipe. Para isso, espera contar com a força da torcida. Será o primeiro compromisso da competição continental disputado na Vila em 2018.

- Tive a oportunidade de jogar (a Libertadores na Vila Belmiro no) ano passado. É diferente o clima. É emocionante aquele corredor de fogo. O adversário sente bastante. A Vila é a nossa casa e a pressão é maior. Desfavorece muito o adversário. É de suma importância vencer para adiantar essa classificação. Quanto antes, melhor. Esse jogo é uma decisão - analisou.

- Eles vão esperar e tentar matar o jogo assim como a gente fez lá na Argentina. Eles vêm motivados, porém vamos jogar com a nossa torcida e tentaremos somar. Acho que o segredo é igualar na vontade. Sabemos que argentinos e uruguaios são raçudos. A nossa qualidade sobressai, porém se igualarmos na vontade, temos grande chances de sair com a vitória.

Confira outros pontos da entrevista coletiva do meia Jean Mota:

Jejum de oito jogos sem marcar de Gabigol

É uma fase. Acho que o Gabigol não passa tanto assim, mas infelizmente a bola não está entrando. Ele está se doando o máximo, estamos tentando procurá-lo. Ele sempre tem nos ajudado dentro de campo taticamente. Falta retomar a confiança para que ele volte a fazer gols.

Lesão de Bruno Henrique

?Fiquei sabendo agora. Não tive contato com ele ainda. Fiquei sabendo agora que ele vai ficar três semanas fora.É uma perda muito grande, fez falta no começo do ano. É difícil o que ele está passando. Espero que a cabeça dele esteja boa.

Time está oscilando na temporada?

?Acho que não tem oscilação. A gente veio de três vitórias, mas tomamos um gol de infelicidade. Temos um padrão. O Jair vem impondo isso. Entramos dentro de campo sabendo o que fazer. Foi um jogo difícil. Eles conseguiram pressionar na saída de bola. Não vejo oscilação, só não conseguimos impor nosso ritmo.

Chutes de fora da área

Um pouco dos dois. O Jair sempre fala para finalizar. O Santos não vinha finalizando tanto, tinha mais posse de bola. Eu por ter uma boa característica, procuro bater de fora da área.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos