Bombonera, protesto e pedido de apoio: Dracena fala na Argentina

Nesta terça-feira, Edu Dracena foi o escolhido para atender a imprensa no hotel que abriga o Palmeiras em Buenos Aires, e ressaltou a importância de uma vitória nesta quarta-feira, na Bombonera, sobre o Boca Juniors. O zagueiro, que nunca jogou no tradicional estádio argentino, também pediu apoio da torcida, minimizando os protestos com xingamentos direcionados principalmente a Dudu na chegada da delegação, na última madrugada.

- Estamos bem tranquilos. O torcedor já mostrou que os jogos do Palmeiras tem média de mais de 30 mil pessoas. Sabemos que eles estão junto com a gente e sabem também da nossa insatisfação por não ter ganhado o Paulista. A cada dia, temos de melhorar cada vez mais. Ninguém está satisfeito com o que estamos apresentando. Mas estamos bem tranquilos, sabendo que temos a confiança deles. A gente precisa do torcedor ao nosso lado para enfrentar os obstáculos no Brasileiro e na Libertadores. Sem eles, não vamos chegar a lugar nenhum. Peço para estarem ao nosso lado, como já estiveram em muitos momentos difíceis que passamos - disse o zagueiro.

Com esse espirito em campo, o pedido do experiente jogador é concentração permanente da equipe dentro de campo. Com sete pontos, dois acima do Boca Junior, vice-líder do grupo 8 da Libertadores, o Palmeiras encaminhará a vaga nas oitavas de final caso vença. E se encherá de confiança para deixar o mau momento atual para trás.

- Vencer seria o ideal, para voltar tranquilo para São Paulo. A gente sabe que enfrentar o Boca aqui nunca é fácil, e o Boca sempre entra nas competições como favorito. Mas acredito muito que o Palmeiras pode dar uma arrancada na Libertadores e na temporada, para o pessoal olhar e falar: 'agora esse time vai chegar, porque tem potencial'. Sabemos que não estamos no ideal, em termos de qualidade e de time, mas não está faltando entrega e empenho de nenhum profissional, tanto de jogador quanto de comissão técnica, para fazer o melhor pela equipe. Estou bem confiante e tranquilo, até a bola rolar, que é quando dá um friozinho na barriga. Mas, quando você trabalha sério, honestamente, as coisas tendem a acontecer da forma como você planeja.

Confira outros temas abordados por Edu Dracena na Argentina:

Presença da torcida na Argentina

O Palmeiras tem torcedor em tudo quanto é lugar, no mundo todo. Isso não surpreende. E já estamos acostumados com cobrança. Quem nos cobra, é porque sabe quanto podemos render e jogar. Os jogadores estão bem tranquilos. Sabemos da nossa responsabilidade, que representamos milhões de torcedores no mundo todo e temos de fazer por merecer isso.

Volta ao time titular

Roger falou: 'Vou contar com você agora, entra lá e tenta nos ajudar da melhor forma possível, como sempre fez no Palmeiras e nos outros clubes por onde passou'. É lógico que, com o tempo no futebol, vamos adquirindo certas experiências e sabemos que, por piores que sejam os momentos, você não é o pior do mundo nem no melhor momento da carreira é o melhor do mundo. Hoje, graças a Deus, atingi o equilíbrio na minha vida profissional, sei da minha importância dentro do clube, como posso ajudar, orientando os jogadores em campo. A conversa, o diálogo são essenciais para, de repente, um posicionamento, para dominar uma bola, ou tirar uma bola. Contribuo para o pessoal estar mais tranquilo para jogar futebol e vencer os jogos, que é o mais importante.

Jogo na Bombonera

O Palmeiras está aprendendo a sofrer. Em um jogo de futebol, tem momento em que você é superado, pressionado pelo adversário, e, em outros momentos, você pressiona o seu adversário também. São momentos dentro da partida que o Palmeiras terá de saber lidar com essa pressão da torcida e do time do Boca, que vai nos pressionar desde o início. Mas espero que a gente possa estar bem concentrado, bem focado, sabendo o que vamos enfrentar, para não termos surpresas e ter que correr atrás. São 90 minutos para o Palmeiras, de repente, com uma vitória, dar um passo grande para a classificação na próxima fase. E é como sempre falo: se não der para ganhar, também não perde. Soma ponto que, na Libertadores, isso é importante.

Tevez

A equipe do Boca tem Tevez, Ábila, Pavón, grandes jogadores. Não podemos pensar só no Tevez, temos de pensar na equipe do Boca. E acredito que tanto o Palmeiras tem de pensar no Boca como o Boca também está pensando na equipe do Palmeiras. Será um grande jogo, com estádio lotado. Espero que a gente possa estar bem concentrado, focado, sabendo que enfrentaremos uma grande equipe, mas fazendo com que prevaleça a equipe do Palmeiras pela qualidade que tem.

Felipe Melo, que participou da confusão no jogo contra o Peñarol, no ano passado, no Uruguai, pela Libertadores

Ele aprendeu muito sobre isso. Neste ano, ele mostrou que só está pensando em jogar futebol. Está nos ajudando muito, fazendo uma grande temporada, passando experiência para os mais jovens. É essencial para a equipe, , principalmente no meio-campo, que é onde se ganha e se perde jogo. Se você não domina o meio-campo, acaba sofrendo muito e, dependendo, pode até perder uma partida. Ele está sendo muito importante para nós e espero que seja importante amanhã.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos