'Diferenciado e ainda tímido': Aguirre está pronto para acirrar concorrência

Não será só no gol que o Botafogo terá novidades. Além de Jefferson na vaga de Gatito Fernández, lesionado, o time de Alberto Valentim pode ser reforçado pela inédita presença de Rodrigo Aguirre. Já inscrito no Campeonato Brasileiro, o badalado uruguaio deve iniciar a partida contra o Grêmio, neste sábado, às 16h (de Brasília), no Nilton Santos, entre os suplentes.

A notícia é ótima, não só pela expectativa criada em torno da contratação de Aguirre, ex-Nacional e Udinese, mas também por conta das frequentes lesões que vêm assolando o clube carioca. Para o ataque, por exemplo, o Alvinegro tem Leandro Carvalho e Luiz Fernando como desfalques - sendo que o último está mais perto de retornar.

As duas peças citadas atuam pelas pontas, funções que Aguirre já desempenhou, sobretudo no Nacional, em que se destacou aberto pela ponta direita. O gringo de 23 anos, contudo, deixou claro em sua apresentação que o seu habitat natural é a região do camisa 9, ou seja, prefere ser a referência.

- Me sinto cômodo como centroavante, de 9. Mas obviamente que nos jogos acontecem coisas, e durante campeonato também. Posso jogar em outra posição. Mas onde posso dar o melhor de mim é de centroavante - falou.

Atualmente, quem ocupa a tal vaga é Brenner, que está no Botafogo desde a temporada passada e costuma oscilar. Em 2018, o atacante emprestado pelo Internacional soma bons números: sete gols em 19 jogos (1351 minutos). Já a outra opção atende por Kieza, este mais experiente, com 31 anos, que passa por um jejum considerável. Contratado em janeiro, o capixaba acumula três gols em 15 partidas (892 minutos), sendo que não vai à rede a sete jogos.

'AINDA PRECISA QUEBRA O GELO'

Vai depender de Valentim a presença ou não de Aguirre na próxima rodada. O fato é que o novo postulante a titular do Botafogo "ainda precisa quebrar o gelo". Quem falou isso e com mais detalhes sobre o atacante foi Jefferson, que recheou o companheiro estrangeiro de elogios.

- É um jogador qualificado, diferenciado. Precisa de muito mais adaptação, tem que quebrar o gelo ainda, está tímido, o que é normal até estrear. Não podemos no primeiro e segundo jogos querer que ele seja o protagonista. Vai ajudar bastante o Botafogo, mas devagar. Tem questão de adaptação, ritmo de jogo, eu já joguei fora e sei como é isso - abordou o goleiro de 35 anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos