Ponte repete dose do último dérbi e vence Guarani de virada na Série B

Após cinco anos, Guarani e Ponte Preta voltaram a se enfrentar em um Dérbi campineiro. O confronto entre os dois times rivais foi o primeiro jogo da história com torcida única. E após tanto tempo de espera, o maior clássico do interior paulista teve de tudo, no Brinco de Ouro. Festa nas arquibancadas, pênalti não marcado e até máscara na comemoração. A Macaca repetiu o triunfo do último duelo realizado em 2013, derrotou o Bugre de virada por 3 a 2 em um embate equilibrado e empurrou o rival próximo da zona do rebaixamento da Série B. A Ponte Preta está na oitava colocação, com seis pontos somados. Já o Guarani ocupa a 16º posição, com apenas três pontos.

O começo da partida foi bem polêmico. Após cruzamento na área da zaga alviverde, o zagueiro Edson Silva cortou o cruzamento com o braço. O árbitro Leandro Vuaden estava próximo ao lance e marcou escanteio. No entanto, os jogadores cercaram o juiz, que foi consultar o assistente. A pressão não deu resultado e Vuaden manteve a marcação do escanteio.

A Ponte Preta tinha mais posse de bole e mostrava total domínio na partida. Porém, foi o Guarani quem saiu na frente. Bruno Nazário cobrou escanteio, o zagueiro Everton Alemão desviou de cabeça e a bola tocou no ombro de Danilo Barcelos, que acabou fazendo gol contra por infelicidade.

Mesmo com o Alviverde inaugurando o placar, a Macaca não se abalou dentro de campo e demonstrou forças para reagir. A Ponte chegava ao ataque com perigo pelo lado direito do Bugre. Danilo Barcelos levantou na área, o zagueiro Reginaldo subiu mais que a zaga bugrina e deixou o duelo tudo igual.

A partir daí, a Macaca passou a "gostar" do jogo. Três minutos depois, a equipe alvinegra virou o jogo. Em um rápido contra-ataque, Felipe Cardoso fez ligação na esquerda para Igor. O lateral achou o atacante André Luís entrando livre na área. O camisa 7 tocou na saída do goleiro Bruno Brígido e colocou a Ponte em vantagem. Na comemoração, André Luís colocou a máscara de gorila e provocou o rival. O ponte-pretano relembrou o feito de Dário Gigena, quando o argentino fez três gols no Dérbi de 2003.

A Ponte Preta teve duas grandes chances de aumentar a vantagem antes de acabar o primeiro tempo, mas o arqueiro bugrino impediu os tentos assinalados. O Guarani até tentou esbocar uma reação, porém não teve forças para furar o bloqueio do rival.

A primeira chegada no segundo tempo foi do Bugre. Bruno Mendes encontrou Erik livre na esquerda, mas o goleiro Ivan fez a defesa. Tiago Real poderia ter ampliado o resultado, mas o arqueiro Bruno Brígido voltou a ter trabalho.

Danilo Barcelos, que fez gol contra no início do jogo, voltou a aparecer para a Ponte. O meia cruzou na área e viu Andrés Luís, sem marcação na área. O atacante não desperdiçou a chance e aumentou o placar no Brinco de Ouro.

O Guarani criava pouco na partida. O técnico Umberto Louzer recorreu a Rafael Longuine e Anselmo Ramon. As entradas dos jogadores nos lugares de Erik e Bruno Mendes, surtiram efeitos. Bruno Nazário levantou na área, Anselmo Ramon ajeitou para Longuine, que foi puxado pelo zagueiro Renan Fonseca. Vuaden estava de frente para o lance e marcou pênalti. Rondinelly foi para a cobrança e descontou para o Guarani. A torcida do Guarani foi ao delírio.

No fim da partida, a Ponte Preta apertou a marcação e o Bugre mostrava nervosisimo para furar o bloqueio do time alvinegro. O lateral Lenon até tentou assustar com chute de fora da área, mas a bola passou por cima do goleiro Ivan. Felipe Cardoso teve a chance de marcar o quarto para a Ponte na partida, mas o arqueiro bugrino impediu que a vitória se transformasse em goleada.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 2 x 3 PONTE PRETA

Local: Estádio Brinco de Ouro, Campinas (SP)

Data: 5/5/2018

Horário: 19 horas - Horário de Brasília

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)

Renda/Público: 18.078 pagantes/ R$ 257.928,00

Cartões amarelos: Baraka e Everton Alemão (GUA), João Vitor (no banco de reservas), Renan Fonseca e Danilo Barcelos (PON)

Cartões vermelhos:

Gols: Danilo Barcelos 12'/1º T (1-0) ; Reginaldo 22/1ºT (1-1), André Luís (25/1ºT) (1-2), André Luís (10/2ºT) (1-3), Rondinelly (27/2ºT) (2-3)

GUARANI: Bruno Brígido; Lenon, Everton Alemão, Edson Silva e Marcílio; Baraka (Denner 15/2ºT), Ricardinho, Erik (Rafael Longuine 18/2ºT), Rondinelly; Bruno Nazário e Bruno Mendes (Anselmo Ramon 24'/2ºT). Técnico: Umberto Louzer

PONTE PRETA: Ivan; Igor, Renan Fonseca, Reginaldo e Orinho (Junior Santos 30'/2ºT); André Castro, Paulinho (Lucas Mineiro 22'/2ºT) e Tiago Real; Danilo Barcelos, André Luís (Roberto 16'/2ºT) e Felippe Cardoso. Técnico: Doriva

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos