Nova oposição se movimenta por impeachment e Campello busca apoio

Depois de uma semana agitada em São Januário, com divulgação do balançao patrimonial seguida de uma carta do presidente, eliminação na Libertadores, invasão de torcedores no treino, rompimento da gestão com o grupo Identidade Vasco (que culminou na saída de 1 vice-presidentes), nem a goleada por 4 a 1 sobre o América-MG, sábado, amenizou o caldeirão político do clube. Isolado após a saída de quase toda sua diretoria, o presidente Alexandre Campello busca apoio entre antigos opositores nos bastidores.

Agora oposição, os grupos de Roberto Monteiro (Identidade Vasco) e Eurico Miranda (Casaca) se movimentam em busca de um impeachment. Para isso acontecer, é necessário que o pedido passe pelo Conselho e tenha 2/3 dos 300 votos possíveis. Roberto Monteiro, presidente do órgão, tem boa parte do apoio.

Ciente disso, Campello buscou apoio com Fernando Horta (que foi candidato na última eleição), José Luis Moreira (que foi vice de futebol durante muito tempo na gestão Eurico Miranda) e Otto Carvalho (membro do Conselho Fiscal e parte importante do grupo de Horta).

Em contato com o LANCE!, Horta se mostrou disposto a ajudar o atual presidente contra o "golpe" (segundo ele), que Monteiro e Eurico querem dar em Campello:

- Estamos dispostos a ajudar e o Campello se mostrou aberto a isso. Não vamos deixar acontecer o golpe que o grupo do Monteiro e do Eurico está planejando. O que mais queremos é um Vasco transparente e é isso que eles querem evitar.

José Luis Moreira também falou com a reportagem. Questionado sobre o cargo de vice-presidente de futebol, ao qual está cotado para assumir, ele foi reticente:

- Não estou pensando nisso. Queremos ajudar o Vasco. Não há conversa por cargos, se houvesse uma possibilidade, eu teria que pensar muito, mas não é o que eu quero agora.

Zé do Taxi, como também é conhecido, divulgou uma nota de apoio a Campello:

"Chegou a hora de me manifestar sobre a situação que se encontra o nosso Vasco. O momento é de união. Somar forças e recolocar a nau vascaína em mares tranquilos para que o presidente Campello conduza a embarcação com mais segurança e tranquilidade. Manifesto apoio a Alexandre Campello e declaro estar à disposição para usar meus 55 anos de Vasco a seu favor. A situação está difícil, precisamos esquecer o lado pessoal. Pensar no Vasco. Remar juntos em uma única direção. Carregamos um histórico de união e construção de vitórias memoráveis, São Januário é símbolo disso"

Outro movimento que tem um bom número no Conselho é a "Sempre Vasco Livre", liderada por Julio Brant, que divulgou uma nota na madrugada de sábado para domingo, revelando que Campello não quer a ajuda do grupo. Confira um trecho:

"Nos últimos dias, pessoas em quem confiamos, informaram que Alexandre Campello não quer a ajuda da Sempre Vasco. Independente do que ele dirá ao público, estamos trabalhando para construir soluções para o impasse político, recuperação da credibilidade do mercado e da confiança da torcida vascaína. Sem milagres, sem promessas, sem vaidades, mas conscientes de que devemos combater a grave crise moral que corrói por dentro o Club de Regatas Vasco da Gama.

Não tomaremos decisões atrás de espaço, cargos e interesses pessoais. Se há uma esperança, é dela que o Vasco precisa e serão os vascaínos que irão reerguer o clube, que irão virar esse jogo, como sempre foi em sua centenária história"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos