Wenger: "Estaria traindo o Arsenal se continuasse na Inglaterra"

Do UOL, em São Paulo

  • Peter Powell/Reuters

O futuro de Arsène Wenger deve passar longe da Inglaterra. O treinador, que se desligou do Arsenal no último domingo após 22 anos de clube, afirmou que seria uma traição se acertasse com alguma equipe da Terra da Rainha.

"No momento eu quero continuar trabalhando. Eu acho que terei que sair da Inglaterra, pois eu sinto que estaria traindo o meu clube se permanecer no país. Meu clube é esse, meu coração está aqui e continuará para sempre. Como eu disse no meu discurso após o jogo contra o Burnley, eu sou um torcedor acima de tudo", declarou.

Wenger anunciou que ficará um mês afastado do futebol para, em seguida, voltar a trabalhar. Ele descartou aposentadoria e é possível que se torne diretor de futebol ou até mesmo técnico de alguma seleção após a Copa do Mundo.

Em seu último jogo à frente do Arsenal, vitória fora de casa sobre o Huddersfield Town por 1 a 0, gol de Aubameyang. Apesar do triunfo, os Gunners não conseguiram classificação à Liga dos Campeões pelo segundo ano consecutivo e vão se contentar com a Liga Europa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos