Prass evita falar de futuro e diz que não quis ouvir sondagens para sair

  • Marcello Zambrana/Agif/Estadão Conteúdo

Fernando Prass diz que teve sondagens para deixar o Palmeiras antes do fim de seu contrato, válido até dezembro, mas não quis ouvi-las. Ainda sem saber se permanecerá no clube na temporada que vem, o goleiro de 39 anos disse a Giuseppe Dioguardi, seu empresário, que não iria quebrar o vínculo com o Verdão, mesmo na reserva.

- Óbvio que todo mundo quer jogar, eu mais do que ninguém me acostumei a isso, mas vou pensar (no futuro) só no fim do ano. Tive algumas conversas no meio do ano, mas deixei bem claro ao Pepinho (seu empresário) que minha ideia não é quebrar meu vínculo com o Palmeiras. Entrei no barco no começo e vou neste barco até o fim da viagem - disse o camisa 1, em entrevista à ESPN.

Prass está revezando com Weverton o posto de reserva imediato de Jailson, e foi escalado para atuar contra o Junior Barranquilla (COL), na quarta. Além da vitória por 3 a 1, o ídolo teve atuação destacada, com defesas importantes, incluindo a de um pênalti - o 13º que ele pegou pelo clube. Como prêmio, voltou a ouvir a torcida gritar que era o melhor do Brasil.

Dos quatro goleiros do elenco, três deles têm contrato até o fim do ano: Prass, Jailson e Daniel Fuzato. Enquanto o segundo vive grande momento como titular da meta, o segundo é tratado como um jogador bastante promissor, inclusive com passagens por seleções de base. Weverton, contratado no começo da temporada, assinou por cinco anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos