Defesa do Vasco evolui com volta de Breno e mostra sinais de recuperação

Setor criticado e que vinha apresentando muitas falhas nos últimos jogos, a defesa do Vasco mostrou uma boa evolução no clássico com o Flamengo, disputado no último sábado, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, o qual terminou empatado. Muito disso se deve ao retorno do zagueiro Breno ao time - foi apenas o segundo jogo em 2018 depois de ter se machucado em 2017. Com a entrada do defensor, os demais nomes da linha defensiva - como Rafael Galhardo, Werley e Henrique - também melhoraram na performance, o que pode dar bons frutos no futuro do Vasco.

Vale lembrar ainda que na teoria o setor defensivo do Vasco ainda não está completo. Ramon está para retornar e assumir novamente a titularidade da lateral esquerda, tirando Henrique da posição. Fabrício viraria terceira opção. Destoando dos anos anteriores em São Januário, o goleiro Martin Silva vem cometendo erros nos últimos jogos, com o número de defesas difíceis caindo, e o tempo que passará fora do Cruz-Maltino por servir o Uruguai na Copa do Mundo da Rússia pode o ajudar a recuperar a fase até 2017. Neste caso, Fernando Miguel ganhará chance.

O próprio técnico Zé Ricardo comentou sobre a importância da volta de Breno para a melhora do setor defensivo do Vasco. Concordo que ele é o melhor zagueiro que tem em São Januário hoje em dia, mas foi certo exagero do treinador dizer que é nível de Seleção Brasileira. Jogar na Europa - como o Breno atuou no Bayern de Munique, da Alemanha - não dá automaticamente uma vaga para o jogador defender as cores do Brasil. Já no Vasco é titular absoluto, bem melhor em todas as características possíveis e imagináveis do que Paulão, Erazo e companhia.

- O Breno é um jogador que, na minha visão, tem um nível pelo menos pleitear um nível de Seleção Brasileira. Não à toa ele já jogou no Bayern de Munique. Uma troca de um jogador às vezes faz uma diferença gritante. Mas temos que trabalhar. Continuar jogando e dar resultado. Porque senão, nada serve - opinou Zé Ricardo em entrevista coletiva no Maracanã após o empate com o Flamengo antes de completar destacando a organização da defesa após o gol sofrido no Clássico dos Milhões:

- Mais importante depois do gol tomado é que a gente não se desorganizou. Vale ressaltar que contra equipes como essa, sempre temos que estar organizados. Temos que jogar no nosso limite. Em cima de valores que são até de vida: empenho, doação, dedicação e acho que conseguimos diante do Flamengo. Nosso grupo é de muito caráter. Temos muita limitação, dificuldade, mas conseguimos entender isso e trabalhamos isso para caramba. Começamos bem, tivemos uma queda e agora é hora de retomar.

Com Breno, todos os sinais de recuperação da defesa do Vasco, vistos no último jogo, devem ser ampliados e firmados em uma sequência na temporada. O retorno próximo de Ramon tem somente a fortalecer o grupo cruz-maltino. No papel, a defesa do time comandado por Zé Ricardo não tem motivos para sofrer. Sofreu muito até agora neste 2018 justamente por conta das ausências, como do próprio Breno e Ramon. Acredito, inclusive, que se eles tivessem jogado a Conmebol Libertadores desde o início o time teria se classificado às oitavas. Como não estavam, resta seguir o trabalho e brigar por vaga na Sul-Americana, o restante do Brasileiro e da Copa do Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos