Diretor do Cruzeiro afirma que relação com o Galo 'atingiu o fundo do poço'

  • Vinnicius Silva/Divulgação/Cruzeiro

    Dirigentes do Cruzeiro entram em discussão com torcedores do Atlético-MG

    Dirigentes do Cruzeiro entram em discussão com torcedores do Atlético-MG

Além de Mano Menezes, o diretor de futebol do Cruzeiro, Marcelo Djian se pronunciou sobre a confusão nos camarotes do Independência durante o clássico mineiro. O executivo admitiu que as duas partes têm falhado na organização dos clássicos, mas mostrou grande descontentamento com o Atlético por ter colocado membros da diretoria celeste em camarote cercado por integrantes de torcidas organizadas rivais, chegando a afirmar que a relação entre ambos os clubes atingiu o "fundo do poço".

De acordo com Djian, o Cruzeiro deixou o estádio logo após a partida, sem dar espaço para entrevista coletiva, por conta de uma informação da equipe de segurança do clube, que identificou, entre os torcedores do Atlético-MG que alfinetavam a cúpula celeste, um homem que havia sido condenado pela morte de um conselheiro da Raposa no passado. Confira o pronunciamento do diretor de futebol do Cruzeiro.

"Falando sobre os clássicos, tanto Cruzeiro como Atlético não têm conduzido bem a organização desses clássicos. Ontem (sábado) a divulgação foi muito grande porque fomos mudados de camarotes do que sempre ficamos. Para nossa surpresa, existia um camarote que era o último e nos dois próximos estavam divididos entre comissão técnica, diretoria e presidência. Quando fizemos uma inversão desses dois camarotes, logo chegaram mais torcedores de organizadas que já existiam no primeiro camarote e ficamos cercados. Ficaram insultando, nos atrapalharam de ver o jogo e fizeram isso o jogo todo. No intervalo, tivemos a necessidade de pedir a intervenção da PM. Alguns jornalistas fizeram imagens, porque os torcedores realmente estavam bem nervosos. O fato de a gente não dar entrevista é porque nosso corpo de segurança detectou que um torcedor havia sido condenado pela morte de um conselheiro do Cruzeiro. Essa atitude atingiu o fundo do poço na relação entre Cruzeiro e Atlético. Isso na presidência conversamos. Cruzeiro e Atlético é muito maior que isso, e algo tem que ser diferente para os próximos jogos".

O Cruzeiro afirma que o camarote utilizado pelos membros do clube durante o clássico deste sábado foi diferente do que costuma ser disponibilizado. Em resposta, o Atlético-MG divulgou uma nota afirmando que "atendeu todas as solicitações do clube visitante, seja nos camarotes destinados à sua diretoria e convidados, seja na segurança reservada a eles" e finalizou com a afirmação de que as reclamações do rival eram consideradas como um "mero choro de perdedor".

UOL Cursos Online

Todos os cursos