'Brasileiros' por outras pátrias: lista vai crescer na Copa da Rússia

O fato de a Seleção Brasileira ter conquistado cinco vezes a Copa do Mundo e ser a única seleção pentacampeã em toda história faz com que o sonho de jogar um Mundial esteja presente em diversos brasileiros, sejam eles jovens, experientes, atuando dentro ou fora do país. Há atletas que optaram em defender outro país. Alguns jogadores nascidos no Brasil tiraram a dupla cidadania para realizar o sonho - casos, por exemplo, de Diego Costa (Espanha), Thiago Cionek (Polônia) e Mário Fernandes (Rússia).

Às vésperas da Copa do Mundo da Rússia - que se inicia em 14 de junho e termina em 15 de julho - o LANCE! relembrou alguns jogadores que escolheram se naturalizar em outro país e defender outras pátrias durante o torneio.

Copa do Mundo de 2018

Confira quem disputará a Copa por outro país. Ao todo são seis.

Mário Fernandes - Rússia - 27 anos

O defensor é sempre lembrado por ter recusado a Seleção em 2011. Ex-jogador do Grêmio, Fernandes se transferiu para o CSKA Moscou em 2012. Na Rússia, recebeu dupla cidadania no último ano. Após a naturalização, o técnico da seleção russa Stanislav Cherchesov passou a chamar o lateral direito para os amistosos e ganhou a confiança do comandante.

Pepe - Portugal - 34 anos

O zagueiro se mudou para Portugal logo aos 18 anos e recebeu a dupla cidadania apenas quando foi contratado pelo Real Madrid. Aos 34 anos, já disputou duas Copas do Mundo com a seleção portuguesa e foi fundamental na conquista da última Eurocopa.

Thiago Cionek - Polônia - 32 anos

Com uma carreira pouco reconhecida no Brasil, jogando no CRB e Cuiabá, o zagueiro foi para a Europa com 22 anos e contou com um abaixo-assinado feito por três mil torcedores do Jagiellonia Bialystok, clube que jogou entre 2008 e 2012, para que o governo polonês reconhecesse a dupla cidadania.

Diego Costa - Espanha - 29 anos

Em 2013, o atacante chegou a defender a Seleção Brasileira em dois amistosos, mas em julho do mesmo ano recebeu a cidadania espanhola. Diego Costa era cotado por Felipão para vestir a Amarelinha na última Copa, mas acabou optando por defender a as cores da Espanha, a qual defenderá de novo.

Rodrigo - Espanha - 27 anos

O atacante jogou em todas as seleções espanholas de base e consequentemente optou em defender a seleção espanhola. Mesmo não sendo a primeira opção do técnico espanhol para o ataque na Copa, Rodrigo tem demonstrado que sabe fazer gols no Valência.

Thiago Alcântara - Espanha - 27 anos

Filho do tetracampeão com a seleção brasileira Mazinho, Thiago Alcântara é um caso diferente. Ele não é brasileiro, mas também não é espanhol. O habilidoso meio-campo nasceu em San Pietro Vernotico, na Itália. A proximidade com a Espanha fez com que ele optasse em se naturalizar no país.

Outras Copas

Outros brasileiros se destacaram em Copas defendendo outra seleção. Veja os principais nomes...

Deco e Liedson - Portugal

Certamente é uma das seleções que mais contou com brasileiros. Ao todos três jogadores disputaram uma Copa do Mundo com Portugal, são eles Deco, que participou do mundial de 2006 e 2010, e Liedson, 2010. Além de Pepe, já citado acima.

Alex Santos e Túlio Tanaka - Japão

O Japão também contou com brasileiros em Copas do Mundo, ao todo foram dois. Alex fez parte das edições de 2002 e 2006 do torneio. Enquanto Túlio Tanaka defendeu a seleção japonesa em 2010, na África do Sul.

Marcos Senna - Espanha

Ídolo no Villarreal, Marcos Senna se naturalizou espanhol e participou da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Além de conquistar a Eurocopa em 2008. O jogador foi o primeiro brasileiro a defender a seleção espanhola.

Thiago Motta - Itália

Chegou no Barcelona com apenas 17 anos, clube que ficou até 2007. Passou por Atlético de Madrid e Genoa antes de se transferir para a Internazionale e se tornar ídolo. A única Copa do Mundo em que participou foi a de 2014, realizada no Brasil.

Cacau - Alemanha

?O atacante começou sua carreira no Türk Gücü München, já na Alemanha, aos 18 anos. Após passagens apagadas por outros clubes, Cacau se destacou pelo Stuttgart, time que permaneceu por 11 anos. Em 2009 se tornou cidadão alemão e com isso, teve a oportunidade de disputar a Copa do Mundo de 2010, competição que o brasileiro marcou um gol.

Eduardo da Silva - Croácia

Eduardo iniciou sua carreira no Brasil, mas jogou apenas em clubes cariocas de menores expressão. Mesmo assim, o atacante despertou interesse do Dinamo Zagreb (CRO). Fez suas primeiras partidas na Europa pela categoria de base do time, mas logo foi promovido e com isso conquistou a cidadania croata, país que defendeu na Copa do Mundo de 2014. Depois do Dinamo, o brasileiro jogou pelo Arsenal, Flamengo e Atlético-PR.

Luís Oliveira - Bélgica

?Sua primeira equipe no Brasil foi o Tupan, do Maranhão, clube em que jogou nas categorias de base. Depois se transferiu para o Anderlecht, da Bélgica, onde também começou na base e logo foi promovida a equipe profissional. Pelo sucesso conquistado no país, o jogador se naturalizou após sete anos de atuação pelo clube. O ex-atacante também se destacou no Cagliari e na Fiorentina. Pela seleção belga, disputou a Copa do Mundo de 1998 - marcou sete gols em 31 jogos com a camisa da Bélgica.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos