Reunião com Mattos e Dudu definiu trégua da Mancha

A Mancha Alviverde, principal torcida organizada do Palmeiras, resolveu voltar a apoiar os jogadores e o técnico Roger Machado após uma reunião em sua sede com o atacante Dudu e o diretor de futebol Alexandre Mattos. A informação foi publicada inicialmente pelo Uol. Também houve um encontro com outras lideranças do elenco na Academia.

Dudu e Mattos conversaram com três representantes da organizada, que vinha protestando desde a derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no mais recente Dérbi em Itaquera. A Mancha deixou de cantar os nome dos atletas antes das partidas e vinha insistindo com pedidos pela saída de Roger.

Pessoas ouvidas pela reportagem, tanto da Mancha quanto do clube, dizem que a conversa foi "tranquila" e que as duas partes ficaram satisfeitas com o desfecho. Apesar da trégua, não está descartado que a organizada volte a cobrar se o time não retomar o caminho das vitórias.

No sábado, mesmo com a derrota por 3 a 2 para o Sport, o clima no Allianz Parque foi de apoio total. Os uniformizados gritaram o nome de todos os jogadores antes do apito inicial, inclusive chamando Dudu de "guerreiro", e exaltaram até Roger Machado.

Antes da partida, a Mancha divulgou que teve conversas dentro do clube, mas sem especificar. "Tivemos algumas conversas dentro da Sociedade Esportiva Palmeiras, fizemos os nossos questionamentos, fomos ouvidos, ouvimos e entendemos algumas argumentações. Não somos inimigos e sim a maior aliada da S. E. Palmeiras", dizia a nota.

Ninguém do clube se manifestou publicamente sobre o assunto. No ano passado, após um protesto em frente à Academia de Futebol antes do jogo contra o Flamengo, em casa, pelo Brasileirão, o presidente Maurício Galiotte divulgou uma nota afirmando que não permitiria mais que os jogadores se relacionassem com torcedores uniformizados.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos