Sem aval do Congresso, Ruanda fecha patrocínio com Arsenal e se defende

Na última terça-feira, o governo de Ruanda, um dos países mais pobres do mundo, na África, anunciou um patrocínio com o Arsenal. Na manga das camisas masculina, feminina e sub-23, o país escreve: 'Visite Ruanda'. O anúncio, uma tentativa de investir no turismo, custará US$ 39 milhões (R$ 146 milhões), por tempo não divulgado, e causa polêmica pela situação econômica do país e por não ter o aval do congresso. O presidente do país, Paul Kagame, é torcedor do Arsenal.

Mas, claro, membros do governo defendem-se e afirmam que este dinheiro do patrocinador provém do próprio turismo no país.

- A ajuda dos doadores é específica e bem explicada em Ruanda - comentou Olivier Nduhungirehe, vice-ministro das Relações Exteriores do país. Paralelamente a isso, o Conselho de Desenvolvimento de Ruanda afirmaem comunicado, que o objetivo do país é dobrar a receita com o setor para US$ 404 milhões (quase R$ 1,5 bilhão) até 2024.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos