Artur revê clube que o formou e se diz 110% pronto para jogar no Verdão

O jogo contra o Ceará, às 16h deste domingo, na Arena Castelão, será especial para o atacante Artur, do Palmeiras. O jovem de 20 anos estará na cidade onde nasceu, contra o clube em que iniciou a carreira e com diversos familiares no estádio. Ficará ainda melhor se Roger Machado decidir promover a sua estreia na temporada - o mais provável é que ele inicie no banco.

- É diferente, né? A gente encontra nossa família, a cidade onde a gente nasceu e foi criado. É outro espírito, outra sensação. Fico muito feliz. Com certeza vai ter muito familiar meu no jogo. Vai lotar o estádio só com eles - disse o garoto, em entrevista ao LANCE!.

Foi jogando pelo Ceará que Artur chamou a atenção do Palmeiras. Ele marcou um gol contra o clube nas oitavas de final da Copa Rio Sub-17 de 2014 e logo foi contratado para a base alviverde. Quem levou a melhor naquele dia, porém, foi o Verdão de Gabriel Jesus (à época chamado de Gabriel Fernando).

- Eu me lembro. Foi no Rio de Janeiro, na Copa Rio. A gente perdeu de 3 a 1 no finzinho. Eu fiz o gol. O Gabriel Jesus jogava no Palmeiras, foi um jogão. A gente fez 1 a 0, eles empataram no finzinho e fizeram outros dois gols na prorrogação - recorda-se.

- O carinho pelo Ceará é enorme. Eu cheguei com meus 12, 11 anos. Foi um clube que me acolheu muito bem. Fiquei até 15, 16 anos aqui. Todos sempre me ajudaram, eu agradeço demais. É uma sensação ótima estar aqui de novo.

Apesar de ainda viver a ansiedade pela estreia na temporada, Artur já jogou pela equipe principal do Palmeiras. Foi na última rodada do Brasileirão de 2016, com o título já assegurado, entrando no lugar de Alecsandro e disputando os minutos finais do triunfo por 2 a 1 sobre o Vitória. Emprestado a Novorizontino e Londrina em 2017, ele retornou ao clube cheio de expectativas em 2018, mas precisou driblar mais um obstáculo.

Uma lesão antiga no tornozelo direito o fez passar por duas cirurgias, sendo uma para colocar um pino no local e outra para retirar o objeto, que estava incomodando. Recuperado, ele já ficou no banco de reservas contra Cruzeiro e Grêmio, mas ainda não foi acionado. Chegou a hora?

- A ansiedade está demais, demais, demais. Mas é ter paciência, porque uma hora vai aparecer essa oportunidade. Eu estou 100% já. Acho até que já estou 110%. Estou me sentindo muito bem, confiante. Só quero receber um dia essa oportunidade e aproveitar bem.

Um dos cinco gols de Artur pelo Londrina foi justamente contra o Ceará, em uma vitória por 3 a 2 pela Série B, em Londrina. A comemoração foi respeitosa.

- A gente vai mais motivado, mas eu fiz um gol e nem comemorei. Estava louco para fazer um gol, doido. Graças a Deus fui feliz e fiz. Não comemorei pelo carinho e pela história que eu tenho. Pouca história, não foi muita, mas tenho respeito.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos