Topo

Esporte


Truco, despedida de amigos e choro contido: Tchê Tchê agradece ao Palmeiras

Divulgação/Dínamo de Kiev
Tchê Tchê posa ao lado do escudo do Dínamo de Kiev, seu novo clube Imagem: Divulgação/Dínamo de Kiev

2018-06-12T15:22:29

12/06/2018 15h22

Reforço do Dínamo de Kiev (UCR), Tchê Tchê deu sua entrevista de despedida do Palmeiras nesta terça-feira e teve trabalho para segurar o choro. Além das boas lembranças que leva do clube, o meio-campista teve de aguentar a pilha dos amigos Edu Dracena, Thiago Santos e Keno, que assistiram à coletiva e repetidamente falavam para o camisa 8 não se emocionar.

Entre perguntas de jornalistas e do próprio Edu Dracena, Tchê Tchê disse que sai com a mesma humildade de quando chegou, em 2016, e agradecido pela confiança recebida no Palmeiras, além do apoio da torcida. Dos companheiros de elenco, citou a parceira "imbatível" no truco com o zagueiro e volante.

"Falar destes caras (Edu Dracena, Thiago Santos e Keno) é difícil e tem mais (jogadores). Inevitavelmente ficamos mais próximos de uns do que de outros, mas gosto de todos. Estes três e mais alguns eu considero demais, são pessoas que estamos próximos. Não vou chorar, não (risos). Eu, Thiago e Edu somos imbatíveis no truco", afirmou o volante.

Com 112 partidas e cinco gols pelo Palmeiras, Tchê Tchê foi peça importante na conquista do título brasileiro. O jogador de 25 anos chegou de graça ao alviverde e foi vendido por 4,8 milhões de euros (R$ 20,5 milhões). Toda a quantia ficará com o clube.

"Ficam coisas boas, felicidades, gratidão a um time que abriu as portas para mim. Sigo com a mesma humildade de Guaianases, apesar de algumas pessoas nos julgarem como ser humano, o que não é correto. Só tenho sentimentos bons, estou feliz de estar aqui, fiz questão, porque as pessoas precisam ser gratas pela forma como fui tratado, a aposta que fizeram em mim. Acho que deixo um saldo positivo", acrescentou.

"Cheguei com desconfiança como jogador, consegui conquistar título, fiz mais de 100 partidas e não é pouca coisa em um clube grande. Como pessoa eu saio mais maduro, com a mesma humildade. Algumas coisas mudam, mas a essência permanece firme", completou.

Mais Esporte