Criticado na estreia da Argentina, Di María publica texto de superação

Ángel Di María foi um dos mais criticados por sua atuação no empate diante da Islândia, no sábado, na estreai da Argentina da Copa do Mundo. Nesta segunda-feira, o atacante pareceu rebater as contestações publicando um texto de superação em seu Instagram.

- Há aqueles que continuam correndo quando suas pernas tremem. Aqueles que continuam jogando quando ficam sem ar. Aqueles que continuam lutando quando tudo parece perdido. (...) A determinação para chegar ao topo. Um topo que não pode ser alcançado ultrapassando os outros, mas superando a si mesmo - publicou o jogador do Paris Saint-Germain, da França.

O texto é de um autor desconhecido, e serve como uma reflexão de uma das principais apostas do técnico Jorge Sampaoli na Argentina nesta Copa do Mundo, na Rússia. Mas a fraca atuação de Di María pode tirá-lo do time.

Nesta quinta-feira, às 15h (horário de Brasília), em Nizhny Novgorod, a Argentina enfrenta a Croácia. E existe a expectativa de que o treinador sauqe Di María do time para escalar Pavón, que entrou bem durante a partida do fim de semana substituindo exatamente o atacante do PSG. Lo Celso e Mercado também podem aparecer como novidade.

A Argentina divide a segunda colocação do Grupo D com a Islândia depois do empate por 1 a 1 de sábado. A Croácia lidera a chave com três pontos e a Nigéria não tem ponto nenhum. Depois de encarar a Croácia, o time de Lionel Messi encerra sua participação na primeira fase da Copa do Mundo diante da Nigéria, às 15h do dia 26, em São Petersburgo.

Confira abaixo o texto publicado por Di María traduzido para português:

Há aqueles que sempre usam as mesmas roupas.

Existem aqueles que carregam amuletos.

Aqueles que fazem promessas.

Aqueles que imploram olhando para o céu.

Aqueles que acreditam em superstições.

E há aqueles que continuam correndo quando suas pernas tremem.

Aqueles que continuam jogando quando ficam sem ar.

Aqueles que continuam lutando quando tudo parece perdido.

Como se toda vez fosse a última vez.

Convencido de que a vida em si é um desafio.

Eles sofrem, mas eles não reclamam.

Porque eles sabem que a dor passa, o suor seca e a fadiga acaba.

Mas há algo que nunca irá embora:

a satisfação de ter conseguido isso.

Em seus corpos, há a mesma quantidade de músculos.

Em suas veias corre o mesmo sangue.

O que os torna diferentes é o espírito deles.

A determinação para chegar ao topo.

Um topo que não pode ser alcançado ultrapassando os outros,

Mas superando a si mesmo.

Veja abaixo a publicação do atacante:

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos