Craque da Costa Rica, Bryan Ruiz nega rumores de brigas na seleção

O clima na concentração da Costa Rica em São Petersburgo não é dos melhores, mas, ao menos no que garante o meia Bryan Ruiz, não há brigas ou qualquer tipo de divisão no plantel comandando por Óscar Ramírez. Nos últimos dias, circulou por redes sociais rumores de que o grupo estaria rachado, principalmente depois da derrota na estreia da Copa do Mundo para a Sérvia. Na sexta-feira, o adversário será o Brasil.

?

Tudo começou quando uma câmera de TV registrou uma discussão entre Johan Venegas e 'Pipo' González depois de uma bolada em uma roda de bobinho. Pouco depois, passou a circular no Whatsapp um texto que apontava para uma divisão entre jogadores que atuam na Europa e os que jogam nos Estados Unidos. Por isso, nesta terça-feira, o capitão e craque Bryan Ruiz resolveu quebrar o protocolo de só falar um dia antes do jogo para esclarecer as coisas.

- Acredito que há certo oportunismo de certa pessoas depois das derrotas. O que passou ontem no Facebook da Federação é algo que acontece normalmente. Depois de tanto tempo de convivência, algumas coisas são normais, mas não há problema. No fim, os dois estavam morrendo de rir. É algo sem pé nem cabeça. Nós queremos esclarecer a situação. Nesses momentos, queremos unir a seleção para um jogo muito difícil - disse o capitão costarriquenho.

No Twitter, o próprio perfil da Federação Costarriquenha de Futebol se manifestou sobre a suposta confusão entre os dois jogadores, compartilhando uma mensagem escrita por Venegas.

- Não, senhores. Pipo e eu não brigamos e nem estamos bravos um com o outro. A dinâmica do bobinho nos leva a agir dessa forma, brincar assim. Lamentavelmente, depois de uma derrota querem colocar que tudo está mal. A única verdade é que estamos mais unidos do que nunca e dispostos a lutar até o último minuto.

Por fim, passados os questionamentos sobre as possíveis discussões no grupo, o meia Bryan Ruiz falou sobre o duelo contra o Brasil, no que considera um lindo desafio. O jogador admitiu o favoritismo brasileiro.

- Sobre o jogo de sexta, estamos perto de enfrentar um time campeão do mundo. É um dos favoritos a levar a Copa. Temos de aproveitar. Brasil empatou com a Suíça e, para mim, é lindo ter um desafio como esse. Estamos analisando muitas coisas, porque sabemos que de 20 jogos, eles ganharão 19 de nós, mas temos uma oportunidade única - finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos