Após primeiros meses no profissional, Ricardo Graça faz balanço no Vasco

Depois da saída de Anderson Martins do Vasco, o torcedor ficou sem saber quem seria a melhor opção para formar com Breno a dupla de zaga. Alguns jogadores foram testados, mas quem acabou se sobressaindo foi uma cria das categorias de base de São Januário: Ricardo Graça. O jovem defensor, de 21 anos, estreou nos profissionais em janeiro deste ano e aproveitou as férias por conta da Copa do Mundo da Rússia para fazer um balanço pessoal até aqui.

Já foram 15 jogos os quais Ricardo Graça participou como profissional do Vasco - todos nesta temporada, mas vale destacar que chegou a ser relacionado, sem entrar, em três partidas de 2017. Foi peça titular na Conmebol Libertadores, um dos sonhos realizados em oportunidade dada pelo então técnico Zé Ricardo, e ao ter desempenhos regulares em campo, conquistou o apoio dos vascaínos. Ele afirmou considerar o clássico com o Flamengo o mais marcante por ora.

- Comecei a temporada jogando, sendo titular nos jogos da Libertadores e do Carioca. Sempre sonhei em disputar uma competição internacional, jogar um clássico, e agradeço bastante ao Zé pela oportunidade que meu deu no início do ano. Acredito que fiz bons jogos, tive atuações regulares. A mais marcante para mim contra o Flamengo, antes da estreia na Libertadores, quando fui o melhor em campo e mostrei que poderia ser titular nos jogos seguintes - afirmou o defensor.

Nestas férias, Ricardo Graça preferiu seguir trabalhando em treinos particulares para a partir de segunda-feira, quando ele e os companheiros de Vasco irão se reapresentar no Complexo Esportivo de São Januário para dar sequência ao trabalho, chegar na frente na disputa da vaga entre os titulares, agora com o comando do técnico Jorginho. O zagueiro garantiu: por ter grande identificação com o Cruz-Maltino, quer conquistar títulos com a camisa vascaína.

- Meu objetivo a curto prazo é ajudar o Vasco. Trabalhei muito forte durante esse recesso para me firmar no time titular. Essa é a minha grande meta para esse ano. Só vou pensar em outras coisas quando conseguir alcançá-la. Eu sempre sonhei em estar aqui, em me transformar em um ídolo da torcida. Tenho identificação muito grande com o Vasco, pois estudei aqui, passei grande parte da minha vida no clube, então pretendo ficar ainda muito tempo aqui, conquistar títulos - lembrou.

No segundo semestre, além da sequência da disputa do Campeonato Brasileiro, o Vasco tem pela frente a volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Bahia - perdeu a ida, antes da parada para o Mundial, por 3 a 0 -, além da Copa Sul-Americana, onde o time cruz-maltino irá fazer a estreia diante do LDU, do Equador, já em julho. Para ter sucesso nestes torneios, diferentemente do que ocorreu para o time no primeiro semestre onde passou - ocorreu a eliminação na Libertadores -, o segredo é ser regular.

- Precisamos na sequência do ano é manter uma regularidade. Tem jogos que a gente vai muito bem e outros que a gente não consegue colocar em prática tudo que podemos. Isso não pode faltar se quisermos atingir nossos objetivos dentro do Brasileiro. Um clube grande como o Vasco precisa sempre pensar em vitórias e em brigar nas primeiras colocações. É crescer sempre. Se em 2017 conseguimos ir para a pré-Libertadores, nesse ano temos que subir mais um degrau, no mínimo manter o que fizemos - finalizou o zagueiro.

LANCE! Footstats

Ricardo Graça em 2018

Jogos 15

Gol 0

Desarmes 25

Passes certos 431

Finalizações 3

Assistência 1

Faltas recebidas 6

Cartões amarelos 5

Cartão vermelho 0

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos