Com bico à la Romário e Ronaldo, Coutinho volta a salvar a Seleção

Não foi uma obra de arte como na estreia e como sugeria a cidade de São Petersburgo, abrigo de um dos maiores museus de arte do mundo, mas o artista Philippe Coutinho voltou a deixar sua marca nesta Copa do Mundo. Desta vez, a inspiração veio de grandes craques brasileiros do passado, e o camisa 11 fez, de bico, o gol que abriu caminho para a apertada vitória brasileira sobre a Costa Rica por 2 a 0 nesta sexta-feira.

Coutinho usou do bico da chuteira que consagrou Romário em 1994 e Ronaldo, em 2002. No Tetra nos Estados Unidos, o Baixinho deixou sua marca duas vezes de bico, na primeira fase, contra Camarões (3 a 1) e Suécia (1 a 1). Já o Fenômeno, no Penta, foi decisivo ao levar o Brasil à final com gol de bico sobre a Turquia (1 a 0). Boa, Coutinho!

A jogada iluminada do meia do Barcelona (ESP), coincidentemente clube em que jogaram Romário e Ronaldo, aconteceu já nos acréscimos, no desespero do Brasil. Marcelo cruzou da esquerda, Firmino escorou bem, a bola ainda passou para Gabriel Jesus e sobrou na área. Coutinho, até então discreto, apareceu bem e empurrou para as redes. Alívio!

O tento faz de Philippe Coutinho o artilheiro da Seleção Brasileira na Copa com dois gols, um a frente de Neymar, que fechou o caixão da Costa Rica nesta sexta-feira. Para o duelo contra a Sérvia, na próxima quarta-feira, o Brasil espera que o camisa 11 se mantenham inspirado. Seja com golaço ou de bico, que sabemos que dá sorte.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos