Vaiado em 2014, Diego Costa iguala Torres e já mira recorde na Espanha

Há quatro anos, Diego Costa disputou sua primeira Copa do Mundo logo no Brasil, país em que nasceu e abdicou de defender para jogar pela Espanha. Vaiado pela torcida, não respondeu em campo e saiu com o time na primeira fase criticado, sem fazer gols. Mas, na Rússia, o atacante já igualou uma marca de 12 anos e mira um recorde.

O jogador do Atlético de Madri balançou as redes duas vezes no empate por 3 a 3 diante de Portugal, na estreia, e, na quarta-feira, fez o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Irã. Desta forma, foi o primeiro espanhol a marcar nas duas primeiras partidas do Mundial desde Fernando Torres em 2006, na Alemanha - o companheiro de Diego no Atlético fez um no 4 a 0 diante da Ucrânia e no 3 a 1 sobre a Tunísia, há 12 anos.

Com esse desempenho, o atual camisa 19 pode já mirar um recorde maior: ser o espanhol com mais gols em uma só edição de Copa do Mundo. Quem ostenta a marca é David Villa, que fez cinco na campanha do título em 2010, na África do Sul, apenas dois a mais em relação ao número atual de Diego Costa.

Como a Espanha se confirmará nas oitavas de final da Copa do Mundo com um simples empate diante do já eliminado Marrocos, às 15h (horário de Brasília) de segunda-feira, em Kaliningrado, é bem provável que o time comandado por Fernando Hierro tenha, ao menos, mais dois jogos. O que pode fazer Diego Costa sonhar, também, em ser o jogador com mais gols pela Espanha em Mundiais, recorde que também é de Villa, autor de nove.

- Se eu continuar marcando gols, significa que a seleção está muito bem. Espero que continue, se for para o bem da equipe - disse Diego Costa, sem mostrar empolgação, mas bastante exaltado pelos companheiros pelos sacrifícios que faz pela equipe dentro de campo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos